MENU

23/02/2021 às 00h00min - Atualizada em 23/02/2021 às 00h00min

Fora da Pauta

 

Cinco nomes

Em 2022, o maranhense terá a oportunidade de escolher o novo governador do Maranhão e essa situação já gera muita disputa entre os personagens da política maranhense, afinal muitos querem assumir o comando do Palácio dos Leões. Porém poucos tem condições de viabilizar seus nomes para a disputa.

Quem são

Carlos Brandão – O natural sucessor de Flávio Dino, o vice-governador levanta vantagem por ser o primeiro na linha sucessória e ainda se sentar na cadeira de governador, caso Flávio vá disputar algum cargo em 2022. Brandão tem como aliado o ex-governador Zé Reinaldo Tavares, que fez o mesmo caminho em 2002, quando vice de Roseana, acabou se reelegendo governador, após afastamento da filha de Sarney para disputar o Senado.

Weverton Rocha – O mais astuto político maranhense da atualidade, já deixou claro que deseja ser governador a qualquer custo. Apesar de ser do grupo de Flávio Dino, o pedetista não enxerga problemas em romper com o comunista para atingir os seus objetivos.

Meteórica

Weverton tem uma ascensão política meteórica. Em 2010, disputou o cargo de deputado federal, mas ficou na suplência. Mas a partir de 2012, ele vem alcançando vitórias importantes desde a vitória de Edivaldo a prefeitura de São Luís. Logo em seguida se elegeu federal em 2014 e senador em 2018. Hoje administra também um conglomerado de comunicação.

Simplício Araújo – O secretário de Indústria e Comércio pode ser uma opção para evitar um racha no grupo de Flávio Dino por conta da disputa entre Brandão e Weverton. Ele vem ganhando notoriedade por seu reconhecido e excelente trabalho no combate a pandemia da covid-19. Já demonstrando capacidade de gestão ainda mais em momentos de crise.

Roberto Rocha – O senador aposta todas as suas fichas em Bolsonaro para alcançar um bom desempenho ou quem sabe a vitória em 2022. Caso obtivesse sucesso nas urnas encerraria a discussão de que foi Flávio Dino que o levou a vitória do Senado em 2014.

Lahesio Bonfim – O prefeito de São Pedro dos Crentes é um franco-atirador nessa pré-corrida eleitoral. Filiado ao PSL, o gestor não possui articulação nem estadual ou federal, mas quer sair como o nome da direita maranhense.

Turno

Vale destacar que nas últimas disputas estaduais de 2010, 2014 e 2018, todas terminaram no primeiro turno, assim como em 1998 e 2002. Apenas 1994 e 2006, as disputas terminaram de forma acirrada e no segundo turno.

Dinastia

Roberto Jefferson, presidente nacional, deve pôr fim a uma das dinastias familiares mais longas que dominam partidos políticos no Maranhão. Desde 2003, o clã Fernandes comanda o PTB maranhense. Foi 18 anos atrás que o ex-deputado federal Pedro Fernandes assumiu o comando do PTB e só deixou em 2019, quando transferiu para seu filho, o deputado Pedro Lucas Fernandes. A transmissão de cargo lembrou o tempo imperial, que a coroa do reinado passava de pai para filho.

Poder

Ao longo dos últimos anos, o PTB no Maranhão só serviu para manter os “Fernandes” no poder. Basta observar o histórico do partido que se resumiu a eleger em 2006, 2010, 2014 e 2018, apenas representantes dos Fernandes como deputados federais, três vezes Pedro Fernandes e a última Pedro Lucas.

Reflexão  

“A velhice é mais do que cabelos brancos e rugas. É o sentimento de que o palco já pertence à outra geração.” (Emile Wilhelm). A verdadeira doença não é o enfraquecimento dos ossos, as dores, mas a apatia da alma. A velhice chega quando se perde a esperança. Viva o seu tempo, porque esse também é o meu, é o seu, o único, irreversível, insubstituível. Vamos que vamos! Dias melhores virão! Bom dia e uma abençoada semana a todos!
Link
WILLIAN MARINHO

WILLIAN MARINHO

WILLIAN MARINHO é colunista de política em O Progresso

Tags »
Relacionadas »
Comentários »
Loading...