MENU

07/07/2021 às 00h00min - Atualizada em 07/07/2021 às 00h00min

Coluna do Lima Rodrigues

 
Mineração

Geólogo Breno Augusto quer que suas cinzas sejam jogadas em Carajás


“Está no meu testamento que, caso a Vale e o IBAMA permitam, as minhas cinzas, e agora também as de minha esposa Yolanda, deverão ser jogadas em Carajás, entre as serras Norte e Sul. Se possível, ao som de My Way* e de Carinhoso*, que são as duas músicas que marcaram a minha vida, nem que seja apenas cantarolando”. A declaração foi feita pelo geólogo Breno Augusto dos Santos, que no dia 31 de julho de 1967 fez um pouso de abastecimento em uma clareira no sudeste do Pará e acabou descobrindo a Mina de Carajás. Em entrevista exclusiva para a série “Entrevistas com Pioneiros”, que estamos publicando no site www.pebinhadeacucar.com.br, de Parauapebas (PA), e que será transformada em um livro, Breno conta mais detalhes da descoberta. “A ideia inicial era procurar manganês, mas o que foi encontrado ali mudou a história da Vale e colocou o Brasil no mapa da mineração mundial”, destaca o texto da Vale ao falar sobre os 50 anos da descoberta da Mina de Carajás.

* “My Way” é o título em inglês da canção francesa “Comme d’habitude”, que foi lançada pela primeira vez pelo autor, Claude François, em 1967, na França. Em 1968, Frank Sinatra lançou sua versão em inglês, adaptada por Paul Anka e que virou um de seus maiores clássicos.

*Carinhoso é uma das obras mais importantes da música popular brasileira. Foi composta por Pixinguinha entre 1916 e 1917, mas gravada pela primeira vez em 1928, contando somente com a parte instrumental.

Posteriormente Carinhoso recebeu letra de João de Barro, sendo gravada com grande sucesso por Orlando Silva em 1937. (Fonte: https://pt.wikipedia.org).

Breno Augusto dos Santos nasceu na cidade paulista de Olímpia em 1º de julho de 1940 (acabou de completar 81 anos). O geólogo foi o grande responsável pela descoberta da reserva de minério de ferro Carajás em 1967. Aliás, a descoberta ocorreu no mesmo mês de seu nascimento, só que em data diferente: 31 de julho. Sua história de vida está ligada diretamente ao desenvolvimento da Amazônia e sua descoberta contribuiu bastante para o setor mineral do Brasil. A entrevista completa, em que ele conta detalhes da descoberta da Mina de Carajás, será divulgada em breve no site www.pebinhadeacucar.com.br.

 Encontro Nacional das Mulheres Cooperativistas
 
A edição de 2021 do maior evento de cooperativismo exclusivo a mulheres promete ser um sucesso. No ano passado, o Encontro Nacional das Mulheres Cooperativistas (ENMCOOP) registrou mais de 170 mil visualizações nas palestras e nos painéis virtuais durante os dois dias de evento. Foram mais de 20 mil participantes de mais de 10 países.

Para a edição de 2021, que ocorrerá em 21 e 22 de setembro,  as expectativas também são as melhores. Temas como o cenário político e econômico para o agronegócio brasileiro pós-pandemia, mercado financeiro e commodities estarão na programação do evento, que vai tratar também sobre a gestão 5.0, alta performance no campo, as contribuições dos jovens ao agro do presente e do futuro, sucessão familiar, empreendedorismo e agricultura digital.

Na abertura, a Ministra da Agricultura, Tereza Cristina, abordará o tema “A importância da consolidação da imagem do agro brasileiro para o mundo”. Nomes conhecidos entre as mulheres do agro, como a Presidente da Bayer, Malu Nachreiner, a Presidente da Sociedade Rural Brasileira, Teka Vendramini, a especialista em sucessão familiar, Mariely Biff, a advogada especialista em agro, Ticiane Figueiredo, e a palestrante, Dani Amaral, que inspira pessoas e empresas a saírem mais fortes das dificuldades, também farão parte da programação.

O ENMCOOP será realizado de forma totalmente virtual e mais informações estão disponíveis no site gpoconecta.com.br/enmcoop.

(Material enviado para a coluna pela jornalista Lilian Munhoz – SP).

Mato Grosso participa pela 3ª vez do Circuito Nelore de Qualidade em 2021
 
Alta Floresta (MT) sediará a 5ª etapa do Circuito Nelore de Qualidade, nos dias 5 e 6 de julho. Com a meta de avaliar ao menos 400 animais, o município é o terceiro do estado a receber uma etapa da 23ª edição do Circuito. A Associação dos Criadores de Nelore do Brasil (ACNB) realiza o evento em parceria com a Associação dos Criadores de Nelore do Mato Grosso (ACNMT) e apoio da Friboi e Matsuda Sementes e Nutrição Animal.
 
“Esta é a terceira etapa do ano que Mato Grosso recebe. Tivemos ótimos números em Araputanga e em Pontes e Lacerda. Por isso, não esperamos menos de Alta Floresta. Mato Grosso é o estado líder de rebanho bovino nacional e receberá, até o momento, mais sete etapas. Mesmo com a pandemia, os números estão positivos, o que nos deixa muito satisfeitos e nos dá motivo para parabenizar os pecuaristas que nunca deixaram de produzir com qualidade”, ressalta Nabih Amin El Aouar, presidente da ACNB.
 
Após Alta Floresta, o Circuito terá mais 30 etapas, incluindo as cidades paraenses de Marabá, Redenção e Santana do Araguaia. (Texto Comunicação – SP).
 
Lançamento do Anuário Leite 2021, da Embrapa Gado de Leite


Foi com muita honra que recebi o convite para participar do lançamento do Anuário Leite 2021, da Embrapa Gado de Leite, realizado na segunda-feira, dia 05 de Julho, às 18h, pelo Canal da Embrapa no YouTube.

“A Embrapa Gado de Leite convida para o lançamento do Anuário Leite 2021, publicação que reúne 34 artigos sobre números do leite no Brasil e no mundo, reportagens especiais sobre diversos temas importantes da cadeia de produtos lácteos e artigos de opinião ligados à atividade. Trata-se da publicação com os dados e as análises mais atuais do leite, inclusive sobre a pandemia. O Anuário conta, também, com especial sobre Biosseguridade e artigo especial sobre ESG.
 
 Participaram do evento de lançamento: Paulo Martins, chefe-Geral da Embrapa Gado de Leite; Bruno Carvalho, chefe-Adjunto de Transferência de Tecnologia da Embrapa Gado de Leite; Geraldo Borges, presidente da Abraleite), e Marcelo Carvalo, CEO da Agripoint.
 
O evento teve como mediadores:Nelson Rentero (Editor do Anuário Leite 2021) e o jornalista Altair Albuquerque (diretor da Texto Comunicação). (Texto Comunicação).
 
Estruturação e integração são fundamentais para o desenvolvimento do mercado de carbono verde no país


Para o Brasil ter sucesso no mercado de carbono, é necessário, primeiramente, haver uma estruturação legal e uma regulamentação clara e transparente do setor, acompanhada do cumprimento da lei. A segunda premissa é integrar toda a cadeia do agronegócio: fornecedores, produtor rural, consumidores, investidores, indústria de processamento, sistemas de varejo e logística, institutos de pesquisa, universidade e entidades setoriais. A avaliação é do presidente do Conselho Diretor da Associação Brasileira do Agronegócio (ABAG), Marcello Brito, que será o anfitrião, juntamente com o CEO da B3 A Bolsa do Brasil, Gilson Finkelsztain, do 20º Congresso Brasileiro do Agronegócio, que acontecerá no dia 2 de agosto e abordará o tema central Nosso Carbono é Verde.

O 20º Congresso da Associação Brasileira do Agronegócio (ABAG), em parceria com a B3 A Bolsa do Brasil, deverá reunir milhares para tratar dos diferentes aspectos ligados ao mercado de carbono verde em três painéis: Energia Limpa e Sustentável, Brasil Verde e Competitivo, e O Futuro do Agro no Comércio Mundial. (Mecânica Comunicação – SP).
Link
Relacionadas »
Comentários »
Loading...