MENU

OPROGRESSONET Publicidade 728x90
06/12/2022 às 12h09min - Atualizada em 06/12/2022 às 12h09min

Reconhecimento de São Luís pela Unesco completa 25 anos hoje

Medida da Unesco considerou urbanidade e arquitetura diversificada e, ainda, exemplo de cidade colonial portuguesa, com traçado preservado e conjunto arquitetônico representativo. 

Madson Euler
Rádio Nacional - São Luís
Título foi concedido em 1997, em Nápoles, na Itália - © Douglas Junior/MTur

  
A cidade de São Luís, capital do Maranhão, completa nesta terça-feira (6) 25 anos de reconhecimento como Patrimônio Mundial da Humanidade pela Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (Unesco).

Segundo o Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan), o título – concedido 6 de dezembro de 1997, em Nápoles, na Itália – decorreu da urbanidade e arquitetura rica e diversificada e, ainda, do exemplo de cidade colonial portuguesa, com traçado preservado e conjunto arquitetônico representativo.

O centro histórico da capital maranhense é composto por mais de mil casarões seculares, muitos deles erguidos nos séculos 18 e 19 e revestidos com azulejaria tradicional portuguesa e influência também da França.  Toda essa importância histórica também foi responsável pelo tombamento da capital em 1974 pelo Iphan.

Comemorações

As comemorações pelo título de Patrimônio Mundial da Humanidade vêm acontecendo ao longo deste ano. E agora, em dezembro, a celebração continua em um dos principais centros culturais de São Luís, a Casa do Maranhão.

O espaço, localizado na Praia Grande, no centro histórico, está recebendo a exposição interativa “Manifestações Culturais do Brasil – A Celebração Viva da Cultura dos Povos”. Ela exibe os 52 bens culturais registrados como patrimônio cultural imaterial brasileiro.

Através de fotos, vídeos, objetos de museus e sons, um rico acervo - formado por peças de colecionadores e artesãos, além de ambientes cenográficos, acompanhados por textos didáticos em três idiomas - os visitantes podem conhecer e vivenciar um pouco das várias manifestações reconhecidas pelo Iphan.

O samba de roda do recôncavo baiano, o frevo, o círio de Nossa Senhora de Nazaré, a literatura de cordel, o fandango caiçara e o jongo do sudeste, além do tambor de crioula e bumba meu boi do Maranhão, estão entre as dezenas de manifestações que convidam o público para uma verdadeira viagem e imersão pelo país.
 

 ouvir: 

 


Notícias Relacionadas »
Comentários »
OPROGRESSONET Publicidade 1200x90