MENU

OPROGRESSONET Publicidade 728x90
24/10/2022 às 20h13min - Atualizada em 24/10/2022 às 20h13min

Judiciário instala pontos de inclusão digital na Comarca de Açailândia

Cidelândia e São Francisco do Brejão

Márcio Rodrigo
Asscom-CGJ/TJMA
Autoridades fazem o desenlace da fita durante inauguração do ponto de inclusão digital em Cidelândia - Foto/divulgação: Asscom CGJMA

  
Açailândia - A Corregedoria Geral da Justiça (CGJ-MA) prossegue instalando salas com pontos de inclusão digital do projeto “Justiça de Todos”, para maximizar o acesso à Justiça e resguardar os excluídos digitais. Desde os dias 19 e 21 de outubro, os termos judiciários de Cidelândia e São Francisco do Brejão contam com um canal direto de comunicação com o Fórum de Açailândia e todos os órgãos do Sistema de Justiça.

O projeto tem meta para alcançar todos os 86 termos que não são sede de comarcas até 2024. O “Justiça de Todos” está alinhado aos macrodesafios previstos na Resolução nº 325/2020 do Conselho Nacional de Justiça (CNJ), que dispõe sobre a Estratégia Nacional do Poder Judiciário 2021-2026, bem como da Agenda 2030, que contempla os Objetivos do Desenvolvimento Sustentável (ODS) 10 (Redução das Desigualdades), 16 (Paz, Justiça e Instituições Fortes) e 17 (Parcerias em prol das Metas).

O corregedor-geral da Justiça, desembargador Froz Sobrinho, participou da solenidade de instalação em Cidelândia. O magistrado ratificou a importância da iniciativa e pontuou como o projeto chega para garantir acesso à Justiça aos 15 mil habitantes da cidade. “Já realizamos mais de 550 atendimentos nas salas em funcionamento, trabalhamos diariamente para ampliar o alcance do Justiça de Todos para todo o Maranhão”, pontuou.

Em São Francisco do Brejão (582 km da Capital), o ponto de inclusão digital foi instalado na sede da Secretaria de Educação do município. O juiz Aureliano Coelho Ferreira, diretor do Fórum de Açailândia, afirmou ser um entusiasta do projeto e que a iniciativa, dentre outros atributos, confere cidadania aos moradores das cidades onde não há estrutura forense. “Essa sala é uma extensão do fórum, um espaço acolhedor para receber as pessoas com toda dignidade que elas merecem, por isso São Francisco do Brejão está de parabéns”, finalizou o magistrado.

A juíza Tereza Nina, coordenadora de Planejamento Estratégico da Corregedoria, agradeceu a parceria da Prefeitura de São Francisco do Brejão por meio de cooperação técnica para viabilização da sala no município. “Além de reduzir os gastos, que giram em torno de R$ 70 no trecho ida e volta para Açailândia, os brejãoenses ganharão em tempo e comodidade acessando os serviços do Sistema de Justiça por meio desse ponto de inclusão digital do Justiça de Todos”, finalizou a magistrada.

Participaram das solenidades de inauguração, a juíza Selecina Locatelli, titular da 2ª Vara Criminal da Comarca de Açailândia; Maria Valdenir Chaves, secretária de Assistência Social representando o prefeito de Cidelândia, Fernando Teixeira; vereador Weyklen Coelho Teixeira, presidente da Câmara Municipal de Cidelândia; Solon Rodrigues, procurador-geral de Cidelândia; advogada Andressa Gama, defensora municipal de Cidelândia; a chefe de gabinete Suzana Aderaldo, representando a prefeita de São Francisco do Brejão, Edinalva Brandão; a procuradora-geral de São Francisco do Brejão, Fabicleia Sousa; e a advogada Yara Marinho, responsável pela sala do Justiça de Todos em São Francisco do Brejão.


Notícias Relacionadas »
Comentários »
OPROGRESSONET Publicidade 1200x90