MENU

16/12/2021 às 20h45min - Atualizada em 18/12/2021 às 12h45min

Série B de 2022 será ainda melhor que 2021; saiba o porquê

A Série B de 2022 será muito emocionante e os grandes não podem descredenciar ninguém apenas por sua história passada. Os jogos irão se decidir no campo.

Wikimedia Commons
  
Quando a Série B de 2021 começou se falava que essa seria a edição da segunda divisão mais difícil da história. O argumento é que cinco clubes campeões brasileiros estavam na disputa: Botafogo, Coritiba, Vasco, Cruzeiro e Guarani. Pois bem, apenas dois desses subiram e mais dois campeões brasileiros foram rebaixados, com um deles ainda sendo tricampeão da Libertadores, campeão mundial e com um elenco que não deveria ter ficado entre os quatro últimos.

O Grêmio sem dúvidas é o favorito para a conquista da Série B de 2022, mas como vimos em 2021, a segunda divisão é jogada em campo e camisas de peso já não são garantia de acesso fácil. As casas de apostas irão pesar o fato que os clubes tradicionais têm peso e orçamentos grandes, mas outros podem surpreender e oportunidades de apostas podem surgir. Veja ainda formas de acompanhar os principais jogos ao vivo e como dar os seus palpites nas melhores plataformas, tudo online.

Além de Vasco, Cruzeiro, Guarani e o Grêmio, o Sport também foi rebaixado em 2021, completando uma sequência de anos nada fácil, sendo uma equipe ioiô que não consegue se manter na Série A. O mesmo se aplica para Coritiba e Goiás, que subiram neste ano.

Voltando ao Tricolor Gaúcho, o impacto do rebaixamento não é só no ânimo, mas também o orçamento que é duramente reduzido. Se poucos anos atrás uma equipe que caia para a Série B não tinha uma grande diferença no pagamento dos direitos de transmissão dos seus jogos - uma das se não a principal fonte de um clube para um ano - hoje a queda é enorme. Por isso o Grêmio deve ter que se livrar de alguns dos altos salários do elenco e Douglas Costa é um dos primeiros da lista.

Mesmo assim o caso do Grêmio é único. Se Vasco e Cruzeiro pagam as contas de gestões anteriores completamente irresponsáveis e passam por crises financeiras que parecem intermináveis, o time de Pedro Geromel, Kanneman, Diego Souza, entre outros, tem as contas acertadas e balanceadas e parece ter sido vítima de uma estagnação do fim da era Renato Gaúcho e a demora para ser acertar depois disso.

Mas nas 38 rodadas da Série B o Grêmio terá que lutar para provar que a queda foi um acidente que o próprio clube já teve que se superar – na histórica Batalha dos Aflitos –para conseguir subir.

Vasco e Cruzeiro sabem que camisa só não basta. O time carioca irá para a segunda temporada na Série B depois de um 2021 horroroso na segunda divisã. A campanha de meio de tabela foi desesperadora para a torcida, que foi perdendo as esperanças e forçou o clube a demitir o diretor de futebol e o treinador Fernando Diniz para começar de novo. O desafio é montar um elenco com muitas peças novas – e que não podem ser caras – e conseguir subir.

Já o Cruzeiro vai para seu terceiro ano na Série B, algo inimaginável e que se você contasse para um cruzeirense no começo de 2019, quando o time entrava como favorito em tudo que disputava, ele não acreditaria. O desafio é o mesmo do Vasco: montar um elenco sem dinheiro e com a possibilidade de atrasos de salários e pressão enorme.

Vanderlei Luxemburgo por enquanto fica, apesar do time ter ficado em 13°. Não ter sido rebaixado para a Série C foi até um triunfo dadas as dificuldades, especialmente em 2020 quando o time começou com -6 pontos por causa de uma punição da FIFA.

Enquanto isso outros clubes pedem passagem. CSA e CRB fizeram boas campanhas em 2021 e parecem estruturados. O Sampaio Correa está se reforçando e tem boa organização. O Guarani também teve chances durante a competição e o Náutico começou voando antes de uma queda brusca. Será que o Timbu também não pode ser um candidato?
 

Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Loading...