MENU

10/12/2020 às 00h00min - Atualizada em 10/12/2020 às 00h00min

Bastidores


Bomba do dia
O assunto predominante no estado, ontem, especialmente no meio político, foi a operação da Polícia Federal que teve como alvo o deputado federal Josimar do Maranhãozinho (PL). Ele é suspeito de envolvimento em suposto esquema criminoso voltado ao desvio de recursos públicos, da área da saúde, por meio do direcionamento de licitações. O montante seria de R$ 15 milhões. Apontado como homem rico, Maranhãozinho se elegeu deputado estadual em 2016 e, nas eleições de 2018, conquistou o mandato de deputado federal, além de eleger a esposa deputada estadual. No pleito municipal deste ano, elegeu a irmã prefeita de Zé Doca. Além disso, o seu partido foi o segundo a eleger mais prefeitos no Maranhão. Com todo esse sucesso, ele pretende voos mais altos, se candidatando a senador ou mesmo a governador. Mas com o escândalo que acaba de estourar, pode ser que haja um revés na sua até agora brilhante carreira política. Porém, por enquanto ele é apenas acusado. Maranhãozinho nega qualquer irregularidade e diz estranhar que a ação tenha sido desencadeada “pouco tempo depois de reafirmar sua candidatura ao governo em 2022”. Argumenta que o dinheiro apreendido em um dos seus escritórios está declarado à Receita Federal em seu imposto de renda, fruto de atividade pecuária. É aguardar o desenrolar das investigações.

E…
Chamou a atenção a postagem feita ontem pelo governador Flávio Dino (PCdoB), cujo grupo tem Josimar do Maranhãozinho como integrante. Dino escreveu: “9 de dezembro é o Dia Internacional Contra a Corrupção. Essa é uma luta de todos que acreditam em um país mais justo, pois só com a boa aplicação dinheiro público alcançaremos esse objetivo. A isso tenho me dedicado, ao longo de 31 anos no serviço público, nos 3 Poderes”. Curiosa declaração logo após o aliado sofrer a ação da PF.

Trégua!
Já está próximo de completar um mês das eleições mas ainda existem políticos e defensores que continuam com o palanque armado. São agressões de todos os lados, como se ainda estivessem em plena campanha. Está na hora de baixar as “armas”, porque 2022 ainda está longe. Agora mesmo um político foi vítima de duro ataque, e assim porque não foi candidato a nada e a partir de 1º de janeiro estará sem mandato. O momento é de uma trégua, por parte de todos os lados.

Cauteloso
Conversando com o colunista, ontem à tarde, o ex-vereador Esmerahdson de Pinho foi lacônico ao ser perguntado se vai assumir algum cargo na Administração Assis Ramos. “Estamos avançando nas conversas”, disse Esmerahdson. Ele foi candidato a vereador pelo DEM, partido do prefeito reeleito, e obteve 914 votos.

Olho nos Leões
O vice-governador Carlos Brandão (PR) reafirmou que não deseja assumir o cargo de conselheiro do Tribunal de Contas do Estado. Brandão está de olho mesmo é nas eleições de 2022, em que pretende ser candidato à sucessão do governador Flávio Dino. Ele disputaria a eleição no comando do estado, já que FD renunciaria para concorrer ao mandato de senador ou mesmo de presidente da República. Para o TCE, o vice-governador apoia o nome do deputado estadual licenciado Marcelo Tavares (PSB), chefe da Casa Civil do governo.

Vacinação
Os senadores estão cobrando do governo federal o calendário de vacinação contra o novo coronavírus. Uma audiência pública exclusiva sobre o tema foi aprovada nesta quarta-feira (9). O pedido para o debate foi feito pelo senador Esperidião Amin (PP-SC).
Link
CORIOLANO FILHO

CORIOLANO FILHO

CORIOLANO Miranda Rocha FILHO, passou a comandar a Redação depois de ter passado por praticamente todos os setores do jornal.

Tags »
Relacionadas »
Comentários »
Loading...