MENU

18/09/2021 às 00h00min - Atualizada em 18/09/2021 às 00h00min

Divertículos


  
Em 15 de Março de 1985 o Brasil estava se preparando para uma festa, a posse do renomado advogado, político, ex-primeiro-ministro, ex-governador de Minas Geais, Senador da República Tancredo de Almeida Neves na Presidência da República dando fim a um período de 21 anos de vigência do regime de exceção, no entanto, acometido de fortes dores abdominais, apresentou quadro de septicemia sendo operado de urgência no dia 14 de Março à noite no Hospital de Base do Distrito Federal (HDB) sendo elaborada UMA DESLAVADA MENTIRA que seria um quadro de DIVERTICULITE! Na realidade era um tumor benigno ulcerado do intestino delgado, um leiomioma.

Mas porque iniciei o texto lembrando esse trágico episódio e a vergonhosa posição de médicos renomados, em aceitar a elaboração de uma MENTIRA! Todos foram severamente punidos pelo CFM. Esse relato, é para chamarmos atenção dessa doença, a diverticulite, ela sempre existiu, mas a partir do episódio Tancredo, passou a ser mais conhecida e debatida também fora do meio médico, apesar de ter sido utilizada de forma mentirosa como já relatado. A partir desse episódio acendeu-se o debate e interesse pela doença, recentemente o Papa Francisco foi operado de uma diverticulite com uma complicação, já instalada, uma estenose. Se lembrarmos de casos recentes de diverticulites, temos uma plêiade de personagens com relatos de terem sido tratados da doença, alguns inclusive com cirurgia, mas a maioria através de tratamento clínico, podemos rapidamente citar Muricy Ramalho, técnico de futebol, ex-presidente Dilma Rousseff, ex-presidente Fernando Henrique, César Filho, apresentador de TV, Gerald Buttler, ator, e outros tantos, mas, se atentarmos, existe um fator em comum, estarem na 5/6ª década de vida.

Então o que são divertículos? São pequenas bolsas que surgem em todo o trajeto do tubo digestivo desde a faringe até o reto, mas o objeto de nosso relato serão os divertículos do intestino grosso e os problemas de sua presença. Os divertículos de cólon são pequenas bolsas que se formam com o envelhecimento natural nas suas paredes, a partir dos setenta anos, sete em cada dez pessoas terão divertículos, constituindo a chamada doença diverticular dos cólons ou diverticulose (o sufixo “ose” significa doença degenerativa ou crônica enquanto o “ite” doença com inflamação).

Então, a presença de divertículos no cólon é chamado de diverticulose, aos primeiros sintomas passa a ser conhecida com doença diverticular e com sua inflamação passa a ser conhecida com diverticulite devendo ser imediatamente tratada devido ao seu potencial de complicações.

A diverticulite afeta pessoas que usam muito carboidratos refinados em uma dieta em geral pobre em fibras, POR ISSO É CONSIDERADA UMA DOENÇA DA CIVIIZAÇÃO OCIDENTAL, Em regiões com dieta rica em fibras e com baixo teor de carboidratos sua incidência é mínima (África e Ásia). A influência do meio é verificada quando se mostrou que os japoneses, residentes no Japão insular, tem uma incidência de 18 % de divertículos e os que mudaram para o Havaí a incidência vai para a 50 %. (Ocasionado por mudança do tipo de dieta).

Nesse artigo abordando uma doença extensa e de muitas dúvidas, para esclarecimento de leigos irei me concentrar em sua prevenção. Vamos nomear uma série de atitudes que diminuem o risco para a ocorrência de casos de diverticulite. Fatores que podem contribuir para o desenvolvimento da doença com inflamação, a pouca ingestão de fibras, uso de excessivo alimentos processados, pouco exercício físico, obesidade, hidratação deficiente, fumo e uso constante de medicamentos como esteroides, opioides, anti-inflamatórios como ibuprofeno, naproxeno.

Não iremos abordar técnicas de tratamento cirúrgico ou clínico que fogem ao sentido informativo geral desses artigos.

A diverticulose está presente em alta incidência após a sexta década de vida, porém 85 % dos casos nunca apresentarão sintomas, cerca de 15 % terão formas pouco graves das doença que serão resolvidas com tratamento clinico, um baixo percentual terão formas mais gravosas que necessitarão de internação e desses cerca de ¼ irão necessitar de algum procedimento intervencionista, drenagens por punções orientadas por ultra som ou tomografia e cirurgia para ressecção intestinal, algumas com necessidade de colostomia (colocar segmento de intestino exteriorizado na parede abdominal), NÃO HÁ RELAÇÃO COM O CÂNCER DE INTESTINO.

Na prevenção de episódios de diverticulite, primeiro devemos manter o peso ideal e pelo menos 30 minutos de atividade física diária, tomar muita água para evitar o intestino preso, usar frutas que tenham bagaço (mexerica, laranja) ou fruta com casca (uva), não usar frutas que fazem bucha na boca (caju), usar vegetais do tipo brócolis, couve, etc., e se necessário complementar com uma fibra sintética, existem várias no mercado como, por exemplo, a mais antiga de todas o metamucil. Fiz esse artigo com foco na prevenção da doença diverticular, atenção que deve ter quem tem mais de 50 anos.
 
Link
NAILTON LYRA

NAILTON LYRA

O Doutor ​NAILTON Jorge Ferreira LYRA é médico e Conselheiro Regional de Medicina e Conselheiro Federal de Medicina representando o Estado do Maranhão

Relacionadas »
Comentários »
Loading...