MENU

23/03/2021 às 00h00min - Atualizada em 23/03/2021 às 00h00min

Webinário em defesa da mulher reúne lideranças femininas em todo o Maranhão

Defensoria Pública do Estado - DPE/MA
Divulgação
 
O Núcleo de Defesa da Mulher e da População LGBT, da Defensoria Pública do Estado (DPE/MA), promoveu, recentemente, o Webinário “Em Defesa da Mulher: aspectos jurídicos sociais”. Ministrado em conjunto pela defensora pública Lindevania Martins, pela psicóloga Márcia Mendes e pela assistente social Nathalia Tinoco, o evento teve o objetivo principal de compartilhar informações básicas sobre leis como a Maria da Penha e Lei do Feminicídio, além de abordar os aspectos psicossociais decorrentes da violência de gênero.

No encontro virtual, as profissionais expuseram os serviços voltados para a mulher no Estado do Maranhão, especialmente na Defensoria Pública e na Casa da Mulher Brasileira, direcionado a mulheres que dirigem comunidades e projetos voltados para o público feminino. O intuito é que as líderes funcionem posteriormente como replicadoras, levando informações práticas para todas as suas companheiras, especialmente aquelas que estão em situação de violência.

A defensora pública Lindevania Martins, titular do núcleo especializado, destacou a importância deste tipo de reunião virtual.  “Eventos como esse nos permitem tanto atuar de modo ampliado, visto que cada liderança funciona como sede de informação para centenas de mulheres, bem como nos permite atuar de modo focado, visto que as lideranças são porta-vozes dessa diversidade de mulheres, pelo que temos acesso às questões que lhe são mais importantes, permitindo que possamos conhecer suas prioridades e atuar junto à essas questões”. 

A presidente da Associação de Mulheres Recicladoras de Vidro do Maranhão e Conselheira de Saúde, Taurina de Jesus, ressaltou a importância dos conhecimentos trazidos no Webinário pelas três profissionais, afirmando que informação pode significar, na vida de uma mulher, a diferença entre a vida e a morte, visto que ela saberá quais são os seus direitos em relação aos seus filhos, a seu patrimônio e a viver uma vida livre de violência, bem como saberá onde e  como procurar a ajuda adequada, acionando os serviços que lhe trarão segurança.  

A assistente social Nathalia Tinôco concordou com o entendimento de Taurina de Jesus, Ela acredita que dúvidas e desinformações têm feito várias mulheres desistirem de procurar ajuda e até mesmo de buscar Medidas Protetivas de Urgência já deferidas, pelo que tem atuado no esclarecimento de que as  Medidas Protetivas podem salvar vidas.

Flávia Regina Silva, que atua há dez anos como líder comunitária na Zona Rural de São Luís, e Rosa Santos, que criou os projetos “Mamãe Cegonha” e Castelo da Criança”, na Cidade Olímpica, relataram o descrédito que mulheres que sofrem violência do parceiro sofrem e a dificuldade que elas possuem para sair dessas relações abusivas. A psicóloga Márcia Mendes observou que o ambiente de violência conjugal a que uma mulher é submetida torna difícil que ela, sozinha, consiga romper o ciclo, necessitando de ajuda externa.  Registrou, ainda, que o Núcleo de Defesa da Mulher e População LGBT já está preparando um encontro especial apenas com essa temática. 

Participaram do evento ainda a ouvidora-geral da Defensoria, Fabíola Araújo, a coordenadora do Núcleo Psicossocial da Defensoria, Rosicléia Costa, e a integrante da Comissão da Mulher da OAB, Secção Caxias, Carla Alessandra Rocha. 

Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Loading...