MENU

OPROGRESSONET Publicidade 1200x90
OPROGRESSONET Publicidade 728x90
23/01/2023 às 17h17min - Atualizada em 24/01/2023 às 00h01min

24 de janeiro: Dia da Educação - O mundo digital exige cada vez mais uma educação atualizada sobre segurança cibernética

Para enfrentar a falta de proatividade na formação de cibersegurança, é necessária uma abordagem específica para instituições de ensino e empresas

SALA DA NOTÍCIA / Check Point Software
https://www.checkpoint.com/pt/
Imagem ilustrativa - Divulgação Check Point Software
A Check Point Software Technologies destaca no Dia Internacional da Educação, celebrado em 24 de janeiro, a necessidade de incluir a cibersegurança entre as disciplinas a serem estudadas em escolas e liceus, sendo hoje uma prioridade crescente em uma sociedade cada vez mais digital.

A realidade do atual mundo digital é a de que a vigilância deve ser ininterrupta, pois os ataques cibernéticos aumentaram 28% no terceiro trimestre de 2022 globalmente em comparação com 2021 em todos os setores da economia. No Brasil, a Check Point Research relatou que, em média, as organizações no país foram atacadas 1.484 vezes semanalmente, um aumento de 37% comparado ao período do terceiro trimestre de 2021.

O ritmo cada vez maior da transformação digital tem levado as empresas, assim como alguns órgãos públicos, como os da saúde ou mesmo da própria educação, a migrar suas operações para a Internet e adotar em maior medida o trabalho remoto. Na verdade, o custo de um ataque cibernético no setor de saúde aumentou 42% nos últimos 24 meses, de acordo com a Check Point Research (CPR) e também pesquisa da IBM. Assim, a especialização em cibersegurança se consolidou como a área com maiores perspectivas de empregabilidade dentro do ramo digital. Este tópico em si também provocou debates sobre como serão os empregos do futuro.

De acordo com o relatório publicado pelo Fórum Econômico Mundial em 2020, 50% de todos os funcionários em todos os setores precisarão ser retreinados até 2025, e 40% das competências essenciais dos trabalhadores atuais devem mudar no mesmo período. De fato, até 2022, 40,1% das organizações reconheceram que estão reciclando talentos de outros departamentos para a segurança cibernética. No entanto, apenas dois em cada dez cargos internos são treinados ou têm conhecimento para desempenhar as funções exigidas.

As novas gerações ainda têm tempo de estar mais atualizadas com os avanços tecnológicos e com as novas preocupações que serão enfrentadas nos próximos anos, e podem se preparar melhor para suas carreiras profissionais. É aconselhável começar cedo, no nível inicial da escola primária, e continuar por toda a jornada educacional até a universidade e além, pois manter-se atualizado com a segurança cibernética pode se estender por toda a vida.

Não importa se um futuro trabalhador está buscando entrar neste setor de segurança ou apenas se preparando para qualquer outro trabalho minimamente digital, mas, como costumam dizer, “se você sabe sobre segurança cibernética, você terá um emprego para toda a vida”. Esta foi uma declaração feita por Robert Herjavec em entrevista para a Cybercrime Magazine em 2018, a qual se torna ainda mais relevante para este 2023, quando a segurança cibernética permeia quase todos os aspectos do trabalho e de nossas vidas digitais.

Esses dados de perspectiva são revalidados quando olhamos para um levantamento anual da PageGroup, consultoria global especialista em recrutamento de executivos, que indicou as posições que estarão em alta nas organizações  de vários setores. Em Tecnologia da Informação, a consultoria aponta que o cargo de Especialista em Segurança da Informação (Cybersecurity)  tem como contexto favorável o papel fundamental na gestão de dados de um profissional de segurança, principalmente nesse momento em que a LGPD (Lei Geral de Proteção de Dados) tem se tornado cada vez mais importante, garantindo a integridade dos mesmos.

Check Point SecureAcademy: ensinando a aprender

Atualmente, a Check Point Software possui 144 parceiros em todo o mundo em seu programa MIND para educação em segurança cibernética, tendo alcançado um aumento de 144% no número de instituições ativas no programa, impactando, por sua vez, um crescimento de 168% na taxa de matrículas de alunos em 2022 em relação ao ano anterior.

No entanto, esse treinamento e recrutamento não precisam ser limitados exclusivamente aos funcionários mais jovens. Algumas empresas internacionais começaram a implementar iniciativas para seus funcionários, lançando no ano passado planos para incentivar a atenção e detecção de ataques de phishing, adicionando-os às suas políticas gerais de bônus ou lançando programas gratuitos de treinamento e certificação em segurança cibernética.

“A cibersegurança é, e continuará a ser, uma das carreiras mais importantes e desejadas do mundo. No entanto, devemos continuar incentivando e ajudando a sua expansão”, diz Fernando de Falchi, gerente de Engenharia de Segurança e Evangelista da Check Point Software Brasil. “É por isso que, com nosso programa SecureAcademy, procuramos apoiar estudantes em instituições de ensino superior e organizações sem fins lucrativos em todo o mundo, fornecendo-lhes conhecimento vital sobre segurança cibernética e recursos de aprendizado. Tais estudos, certificação e treinamento ajudarão a nutrir essas mentes jovens com as habilidades para empregos de segurança cibernética do futuro, permitindo-lhes uma carreira ao longo da vida.”

Notícias Relacionadas »
Comentários »
OPROGRESSONET Publicidade 1200x90