MENU

OPROGRESSONET Publicidade 1200x90
OPROGRESSONET Publicidade 728x90
17/10/2022 às 20h54min - Atualizada em 17/10/2022 às 20h54min

“Gorduras, pra que te quero?”

Ludmila Pereira de Araujo Souza *
Sempre que falamos de gorduras, somos remetidos à ideia de que elas são péssimas para nossa saúde. Dizem logo que fazem mal ao coração, pois entopem nossas artérias; que são elas que se acumulam no fígado e demais vísceras; que nos fazem engordar… Nossa, uma verdadeira vilã de novela das nove. 

Mas estou aqui pra te contar, caro leitor, que não é bem assim. 

De fato, as gorduras “erradas” trazem sim os malefícios citados, além de outros mais... Mas não temos somente as ruins. 

A gordura – também chamada de lipídeo – é um macronutriente, juntamente com os carboidratos e proteínas, já falados aqui em outros momentos. 

Dentre suas principais funções, citamos: a reserva de energia (aquela estocada e que vamos gastar em nossas atividades); ser isolante térmico, poupando-nos do frio; auxilia no transporte de algumas vitaminas (as chamadas lipossolúveis, sendo elas A, D, E e K); além de produzirem hormônios. 

Podemos classificar as gorduras como saturadas – presente principalmente nos alimentos de origem animal, como as carnes, leites e ovos, além também de alguns de origem vegetal, como azeite de coco e dendê – e são exatamente estas que, em excesso, fazem mal a nossa saúde e de quem falamos há pouco. 

Lembrando ainda que dentro desse contexto das gorduras saturadas, destaco a tão conhecida gordura trans, comumente encontrada nos alimentos industrializados com a finalidade de dar sabor e gerar maciez e/ou crocância a esses produtos. 

E agora, vamos falar daquela que nos faz bem: as insaturadas. Estas são as gorduras boas, presentes principalmente nos peixes e em alimentos vegetais, como o abacate, as oleaginosas (que são o grupo das castanhas, amêndoas, amendoim, nozes e avelã), além do azeite de oliva.

Esse grupo de lipídeos “do bem” tem o poder de elevar o colesterol HDL (que é o bom) e diminuir o colesterol LDL (que é o ruim), sendo assim, associados a um menor risco de doenças cardiovasculares.

Percebe, caríssimo leitor, como nem só de malefícios vivem os lipídeos? Tudo é uma questão de escolha e equilíbrio e acredito que, hoje, eu apresentei a você as melhores opções. 
Gorduras, já descobri pra que te quero.

________________________________________________________________________________________________
* Ludmila Pereira de Araujo Souza é Nutricionista, especialista em Nutrição Clínica com ênfase nas enfermidades renais
Instagram: @ludmilapasouza.nutri - Email: [email protected]
 

Notícias Relacionadas »
Comentários »
OPROGRESSONET Publicidade 1200x90