MENU

11/09/2022 às 21h14min - Atualizada em 11/09/2022 às 21h14min

Livros & Leitura

Leia e comente.

Da Redação
GB Edições

Box Intenção de Mãe

Você sabia que a educação e parentalidade consciente proporciona um vínculo tão mágico por meio da criatividade e do lúdico, que permite um olhar diferenciado para muitas singularidades e possibilidades? A parentalidade consciente permite uma reflexão sobre o que realmente é importante como pai e mãe, em cada momento, alinhando os valores às intenções de cada família. É um caminho que primeiro é necessário perceber e aceitar a si próprio, para depois olhar o outro. Assim, os pais conseguem parar de reagir aos comportamentos dos filhos para agir com consciência, olhando e acolhendo, para um convívio com muito amor, consciente, assertivo e respeitoso. Ter filhos é se aventurar por uma montanha russa de emoções. Dá medo. Medo de não ser boa o suficiente, de falhar. Realmente não é tarefa simples ser uma mãe. Mas a missão fica bem mais fácil se você não está sozinha, se pode contar com o suporte de mulheres que enfrentam os mesmos desafios diários e convivem com as mesmas dúvidas. De mindfulness a parentalidade consciente, o leitor encontrará o apoio de 49 mães, que viveram desafios e angústias e escolheram compartilhar seus aprendizados, tornando a jornada mais fácil para outras. Com reflexões curtas e uma leitura que será um sopro quente no coração, os cartões que estas mães escreveram provocarão uma revolução na maneira de enxergar a maternidade e paternidade. Uma dica de ouro: leia todas de uma vez ou uma a cada dia ou escolha uma carta aleatoriamente naquele dia mais difícil. Publicado pela Literare Books International, com coordenação editorial de Iara Mastine e ilustração de Kuy, o “Box Intenção de Mãe” contém obra com 144 páginas e 50 cartas.
 

Ao Piano

Acompanhar o desenrolar de um passeio pelo terreno das lembranças é o convite que o escritor o Paulo Roberto Simas faz para o leitor em “Ao Piano”, romance de estreia publicado pela Editora Penalux. Narrada em primeira pessoa, a obra conta com 42 capítulos curtos, escritos com fluidez para serem lidos em um dia. Após socorrer o amigo Hall, levando-o para um hospital, Robert também se sente mal e desmaia. Quando desperta, ele descobre que ficou em coma por 24 dias e que seu melhor amigo, Hall, faleceu. Diante do luto, o protagonista é surpreendido por diversas mensagens do falecido. Lendo o conteúdo, Robert percebe que as histórias daquelas páginas são as mesmas que ele viveu durante o período em que estava adormecido. Incrédulo, inicia uma busca por respostas, tentando encontrar uma explicação. Com o desejo de acalmar o coração ansioso por explicações pela triste partida, Robert procura as pessoas para as quais as mensagens de Hall se direcionam. Neste processo de entender o que aconteceu durante o coma, ele não está só: tem a companhia de seu novo piano, de onde reencontra o amor pela vida, o carinho pelas pessoas que se foram e a superação da doença tão cruel. O som do instrumento torna-se essencial para a ressignificação de momentos doloridos. Cada nota emitida dá força para que ele siga em frente na busca de abrandar o coração de quem ainda está por aqui no plano terreno. Em “Ao Piano”, Paulo Roberto Simas retrata com muita delicadeza uma história inspiradora de superação. Em tempos de tantas perdas por conta da pandemia, violências urbanas, desastres naturais e doenças da mente e da alma, esta leitura serve como conforto para aqueles que se sentem inconsolados e buscam significado nos vazios deixados pela morte. O livro tem 220 páginas.
 

Quem Tem Medo dos Evangélicos?

Por anos as menções aos evangélicos seguiram estereótipos que, nitidamente, não davam conta de retratar com fidelidade um segmento tão diverso. Seja pelo alinhamento político de pastores midiáticos ou fatos controversos envolvendo a “bancada da Bíblia”, estes episódios reforçaram ainda mais o preconceito contra o movimento evangélico brasileiro. Para abrir um debate imprescindível e conhecer as nuances deste complexo segmento, a editora Mundo Cristão lança o ensaio do jornalista e teólogo Gutierres Fernandes Siqueira, “Quem Tem Medo dos Evangélicos? Religião e Democracia no Brasil de Hoje”. Ele desmitifica percepções equivocadas sobre a comunidade evangélica, oferece exemplos históricos e fatos recentes que contextualizam a presença dos evangélicos na sociedade brasileira. Longe de manifestar uma postura acrítica em relação à Igreja, Gutierres defende o direito de participação do segmento na vida da nação, com seus ônus e bônus, além de propor o debate sobre um tema difícil, porém fundamental para a compreensão deste complexo setor da manifestação religiosa no Brasil. Com amplo lastro teórico, Gutierres instiga o leitor, evangélico ou não, a identificar, sem preconceitos ou generalizações rasas, as matizes que configuram este fenômeno religioso. Por meio da obra, os evangélicos entenderão as implicações políticas e sociológicas de sua manifestação de fé, enquanto os não evangélicos terão a oportunidade de conhecer como o movimento que mais cresceu no Brasil nas últimas décadas funciona. O livro tem 128 páginas.
 

Alquímio: a Descendente

primeiro volume da trilogia “Alquímio: a Descendente” traz um enredo no qual a personagem principal Verônica é envolvida em uma teia de crime, vingança, poder, sensualidade, mistério e magia, demonstrando que, mesmo oculto, o passado não pode ser abandonado. Verônica é milionária, herdeira de uma indústria farmacêutica no Brasil, formada em Química Orgânica pela renomada Faculdade de Harvard e uma das mais jovens doutoras em Química Quântica do planeta. Ela tinha tudo para ser a pessoa mais feliz, mais completa do mundo. Mas situações trágicas, perdas inestimáveis foram capazes de minar parte da sua alegria em viver. Os pesadelos constantes, as imagens fortes, recorrentes em sua mente, apontavam para algo errado no próprio subconsciente. O que haveria de tão estranho para perturbá-la? Por que sofria tanto e se sentia acuada? Após uma ligação misteriosa, Verônica se vê na obrigação de retornar ao seu país natal, para casa onde nascera e onde sofrera seus maiores traumas. De volta, ela começa a investigar os fatos e traumas da infância, mas se vê diante de grandes mistérios. Publicado pela editora Literare Books International, esta obra vai transportar o leitor para um universo alquímico, onde a autora Juliana Weyn consegue narrar como uma pessoa pode ao mesmo tempo não lembrar nada de seu passado e estar prestes a mudar o conceito de uma vida inteira. O livro tem 256 páginas.

Notícias Relacionadas »
Comentários »