MENU

09/02/2022 às 21h46min - Atualizada em 09/02/2022 às 21h46min

‘Não se faz justiça com as próprias mãos’: 18 entidades condenam chacina com 6 mortes

Pai e filho foram executados dentro da Delegacia de Polícia Civil

Da Assessoria
Foto: Divulgação
 
Dezoito entidades manifestaram repúdio à execução de 6 pessoas em Miracema do Tocantins logo após a morte do 2º sargento da Polícia Militar Anamom Rodrigues de Sousa, no último fim de semana.

As entidades cobraram apuração e punição dos autores dos crimes e destacaram que quase todos os mortos são negros. “As mortes representam a face mais cruel da intolerância e falta de justiça”.

Conforme o manifesto, as mortes podem ter sido motivadas por sentimento de vingança e por “pessoas que representam a ordem e a segurança do povo de Miracema”.

No manifesto, as entidades também defendem a desmilitarização da polícia e a construção de um novo modelo de segurança pública, com participação da população e que tenha como centro a defesa dos interesses da população mais pobre e marginalizada. “É necessária uma polícia cidadã que se aproxima da classe trabalhadora e se reconheça como parte desta classe”, dizem.

As entidades também prestaram solidariedade aos familiares dos mortos e finalizam dizendo que “não se faz justiça com as próprias mãos”.

Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »