MENU

30/01/2021 às 00h00min - Atualizada em 30/01/2021 às 00h00min

Coluna do Illya


​Tchau, querida
A frase usada por Lula quando do imbróglio ministerial ainda no governo Dilma, em que o ex-juiz Sérgio Moro escandalosamente divulgou o teor de um grampo telefônico que além de extemporâneo era juridicamente ilegal, virou título de livro. Em trecho já liberado a que a Coluna teve acesso, seu autor, o ex-deputado e ex-presidente da Câmara Eduardo Cunha abusa do Eu. Se atreve a não se intitular protagonista, insinua que foi usado como objeto. Um santo enfim… Michel Temer e Rodrigo Maia, manipuladores, seriam os agentes que teriam acionado o cadafalso. Se o relato de Cunha for fiel, as páginas do livro que deveria chamar-se “Os Hipócritas” ou “O Covil”, coloca a nu a podridão política, onde deputados assumem papel de objeto, de instrumento, da mais pura serventia. Cumprindo prisão domiciliar e sem as armas de outrora, Eduardo Cunha se revela dono de um dedurismo ao afirmar que vai citar o nome dos que lhe fizeram chantagem enquanto durou o processo que resultou em sua cassação. Se verdadeiro, a vítima provou do próprio veneno. De resto, o pouco trecho agora liberado às vésperas da disputa para a presidência da Câmara dos Deputados feriu de morte a candidatura de Baleia Rossi, o que denota que mesmo enforcado politicamente, Eduardo Cunha está sempre a serviço de alguém.

Covid-19
É uma questão de mais mortes, ops, de tempo. Ricardo Barros (PP-PR) será o novo ministro da Saúde. Tem know-how, já ocupou a pasta (governo Michel Temer) e é do Centrão, novo berço esplêndido do presidente. Pazuello a quem o Alto Comando já olha de viés, já era.

Olha ele aí
Pesquisa divulgada ontem pelo Instituto Paraná Pesquisas para a corrida presidencial em 2022, traz em um dos cenários o nome do governador Flávio Dino que é citado na preferência dos  entrevistados em 1 por cento. Pelo menos, 1 por cento não é um 0 zero à esquerda.

Assaí
Recém-inaugurado em Imperatriz, o Assaí tem deixado a concorrência no chinelo. Bem arrumado, preza pela limpeza. Agora quando o assunto é carne, seu açougue dá um banho.

Havan
Muito divulgada anteriormente como favas contadas a informação de que as instalações da Havan em Imperatriz seriam no terreno onde funcionava a Transbrasiliana, não corresponde à verdade. A Coluna até sabe o local, mas …

Fura fila
Se deu mal, o fura fila goiano e então secretário de Saúde do município de Pires do Rio, Assis Silva Filho. Virou manchete ao mandar vacinar antes de qualquer outro grupo prioritário, “a mulher da minha vida”. Descobriu-se depois, que ele próprio se contemplou. Acochado pelo Ministério Público fez acordo e vai pagar pela imoralidade, 50 mil.

Escreveu, não leu
O prefeito de São Miguel (TO) precisa aprender a atravessar o rio. Recém-eleito, o jovem Alberto Moreira surfou na onda do Tribunal de Contas do Estado que anulou concurso público realizado em 2016 e baixou decreto demitindo 66 funcionários. A reviravolta veio por decisão da Justiça acionada pelo MP que determinou a suspensão imediata dos efeitos do decreto e a readmissão imediata dos demitidos.

Ele disse
“A decisão do prefeito, além de ser ilegal, pois foi tomada sem prévio procedimento e em violação ao contraditório e à ampla defesa, mostra-se irrazoável e desproporcional, na medida em que não analisou conceitos mínimos de direito, em especial de direito constitucional” (Do promotor de Justiça Elizon de Sousa Medrado, responsável pela Promotoria de Justiça de Itaguatins).

Mobral neles
No Tocantins passa de 100 o número de vereadores que não completaram sequer o ensino fundamental. Aguarda-se o levantamento a ser efetuado no Maranhão.
Link
ILLYA NATHASJE

ILLYA NATHASJE

ILLYA Ulianov Buby NATHASJE é publicitário e Diretor Comercial de O PROGRESSO.

Tags »
Relacionadas »
Comentários »
Loading...