MENU

11/06/2021 às 19h49min - Atualizada em 11/06/2021 às 19h49min

Judiciário realiza entrega de mais de 60 toneladas de material reciclável a cooperativa

Asscom CGJ
Cerca de 26 famílias são beneficiadas com o trabalho de reciclagem realizado pela cooperativa - Foto: Ribamar Pinheiro
  
O Poder Judiciário do Maranhão, por meio da Corregedoria Geral da Justiça e do Fórum Des. Sarney Costa, fez o descarte consciente de cerca de 80 mil processos, resultando em 64 toneladas de material entregues à Cooperativa de Reciclagem de São Luís (COOPRESL). A solenidade, realizada de forma simbólica, aconteceu na manhã desta quinta-feira (10), na sede da Divisão de Gestão e Controle Documental da CGJ-MA, no Parque Pindorama, e contou com a participação do corregedor-geral da Justiça, desembargador Paulo Velten, do desembargador Jorge Rachid Mubárack Maluf (presidente do Núcleo Socioambiental do Tribunal de Justiça), da juíza Andréa Perlmutter Lago, diretora do Fórum Sarney Costa, do juiz auxiliar Márcio Brandão, dentre outros.

De acordo com Maria José Castro, diretora administrativa da COOPRESL, esse material entregue pelo Judiciário beneficiará muitas pessoas. “Além do benefício para o meio ambiente, esse material que recolhemos sempre aqui, em virtude do termo de cooperação que assinamos, em 2016, com o Tribunal de Justiça, vem para ajudar diretamente 26 famílias. Agradecemos aos órgãos que se sensibilizam com o nosso papel e que colaboram, de forma significativa, para o sustento de tantas pessoas”, afirmou ela, ressaltando que o material reciclado retorna para a sociedade em forma de papel toalha, papel higiênico e até bolsas. 

O presidente da cooperativa, Sebastião Lemos, destacou que tudo que é arrecadado com o material recolhido é dividido em partes iguais entre os cooperados: “Realizamos, a cada mês, o apanhado do que foi reciclado e dividimos para todos, igualmente. Começamos devagar, em meados de 2003, com poucos cooperados e agora estamos com uma estrutura satisfatória, ajudando famílias que dependem da reciclagem”.  

O desembargador Jorge Rachid enfatizou a importância da consciência ambiental de todos e enfatizou a importância de parcerias nesse tipo de ação. “O que vemos aqui é uma parceria forte entre o Judiciário e uma cooperativa que faz um trabalho brilhante. Este trabalho deveria ser de cada um de nós, a preocupação com o descarte correto de material reciclável”.

Priscila Sousa, diretora da Divisão de Gestão e Controle Documental da CGJ-MA, explicou que todos os processos estavam aptos para o descarte e que a ação não acarretará nenhum tipo de prejuízo ao Poder Judiciário. “São processos que já passaram por todos os trâmites administrativos, cumprimento de prazos legais, de editais, processos oriundos de varas cíveis e juizados especiais da capital. Todos os nossos processos são reciclados, não se fala mais em incineração. Nosso objetivo é, até o final do ano, fazer o descarte de todo o acervo daqui”, frisou Priscila. 

CONSCIÊNCIA AMBIENTAL - O corregedor Paulo Velten destacou a importância da política socioambiental do Poder Judiciário, pois além de refletir em cuidados com o meio ambiente, também possibilita a economia de recursos financeiros.
“São toneladas de papéis que ficam amontoados em nossos depósitos, sem nenhuma utilidade para o Poder Judiciário, e que geram gastos. É um benefício para o meio ambiente, para as famílias que trabalham com reciclagem e para a sociedade, pois esses materiais antigos serão transformados em novos produtos. Serão menos árvores derrubadas da natureza”.

Para ele, atos como esse são uma demonstração de que o Judiciário já assimilou as políticas sociais, ambientais e de governança. “Trabalhar com a garantia do desenvolvimento sustentável é trabalhar causando a menor quantidade de danos possíveis ao meio ambiente. E quando o tribunal incorpora dentro suas práticas essas políticas, ele demonstra que está dando um passo importante para o futuro. Continuaremos a fazer esse trabalho de descarte consciente de processos”, finalizou Paulo Velten.

JORNADA SOCIOAMBIENTAL - A “Jornada Socioambiental - Poder Judiciário do Maranhão e Agenda 2030” está sendo realizada pelo TJMA, por meio do Núcleo Socioambiental, em parceria com a Escola Superior da Magistratura (ESMAM), e a Corregedoria Geral da Justiça realizam a Jornada Socioambiental com transmissão de palestras e painéis, de 7 a 9, por meio do canal do TJMA Oficial no YouTube

Os temas englobam a importância da água, energia solar e sustentabilidade, o papel da rede de responsabilidade socioambiental e revisão do Código Estadual de Meio Ambiente do Maranhão, dentre outras atividades. 

Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Loading...