MENU

23/04/2021 às 21h00min - Atualizada em 23/04/2021 às 21h00min

População reclama da falta de segurança em João Lisboa

Regivaldo Alves
Foto: Divulgação
João Lisboa - Devido a crescente onda de crimes, a população se organizaram em grupos de whatsapp para se manifestar sobre a falta de segurança pública na cidade de João Lisboa. A população cobra pela efetividade das ações da Polícia Militar e da Polícia Civil. 

No município está acontecendo uma onda de crimes. A população reclama que tanto o Ministério Público, quanto o Executivo e o Legislativo, não estão realizando cobranças junto ao governo do Estado e órgãos competentes para melhorar a segurança na cidade.

No início da semana, o grupo “João Lisboa Unida” coordenou as reivindicações com matérias em blogs, sites e redes sociais. E já criou um alerta que está sendo impulsionado nos grupos de whatsapp. Para que as pessoas, ao serem vítimas de assalto ou testemunharem algum crime, emitam alerta nos grupos, descrevendo os criminosos, localização do crime, objeto levado, sentido que os meliantes seguiram, vestimentas e transporte utilizado pelos criminosos. Caso o objeto levado for seu telefone, use de um amigo ou vizinho.

Disparem em grupos de whatsapp. Quando outros moradores avistarem os meliantes atualizem a mensagem descrevendo a localização atualizada de onde o criminoso passou. Ligue no 190, passando as informações. Vamos nos unir para combater a onda de crimes na cidade. João Lisboa se une contra a criminalidade.

Na última quinta-feira, 22, o Comandante do 14º BPM, Major Claudiney, determinou que fossem intensificadas as ações de policiamento ostensivo e preventivo na cidade.

Segundo informações, o município contará com o reforço de efetivo policial, através da “OPERAÇÃO JOÃO LISBOA EM PAZ”, de forma continuada e por tempo indeterminado, desencadeando blitz, abordagens, revistas e patrulhamento em ruas e avenidas da cidade, visando coibir práticas criminosas como tráfico de drogas, porte ilegal de armas de fogo, assaltos, furtos e outras contravenções penais.

Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Loading...