MENU

24/11/2022 às 18h30min - Atualizada em 24/11/2022 às 18h30min

Apesar da redução da atividade industrial em 2020, Maranhão supera taxa de crescimento do PIB do Nordeste

Os dados são do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) e se referem a 2020

Comunicação e Eventos/FIEMA
Foto: Divulgação
 
SÃO LUÍS – De acordo com dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) divulgados este mês, o Produto Interno Bruto (PIB) do Maranhão encolheu 1,9% em relação ao valor de 2019 e a agropecuária foi o único setor que apresentou crescimento (8,1%), enquanto a indústria caiu 0,8% e o setor de comércio e serviços regrediu 3,7%. O coordenador de ações estratégicas da Federação das Indústrias do Estado do Maranhão (FIEMA), o economista José Henrique Polary, explicou que este quadro já era esperado. “O auge da pandemia foi em 2020 e já esperávamos que os impactos dessa crise sanitária seriam fortes no PIB estadual”, disse.  

Apesar do recuo no setor industrial, o Maranhão continuou mantendo uma taxa de crescimento anual maior do que a do Nordeste e do Brasil, uma vez que a queda no seu PIB (- 1,9%) foi menor do que a nordestina (-4,1%) e brasileira (-3,3%). “Na média geral, o resultado foi bom. Caiu-se apenas 1,9% graças ao bom desempenho do agronegócio, devendo-se ressaltar que o impacto negativo no segmento de comércio e serviços foi amortecido com a ajuda do auxílio emergencial que manteve ativo o mercado consumidor”. Outro dado importante foi o crescimento de 2,7% no setor da construção civil, depois de seis quedas seguidas e isso tem muito a ver com o fato de os materiais para a atividade da construção terem sido considerados bens essenciais. 

Notícias Relacionadas »
Comentários »