MENU

14/11/2022 às 18h46min - Atualizada em 14/11/2022 às 18h46min

Polícia Civil prende em Paraíso dois homens por sequestro e cárcere privado de mulher que havia desaparecido em Palmas

Vítima foi levada quando estava em um bar em Taquaralto e não foi mais vista

Rogério de Oliveira
Secom/TO
Homens presos responderão por sequestro e cárcere privado - Foto: DICOM SSP TO
  
A Polícia Civil do Tocantins (PC-TO) por intermédio da equipe da 9ª Central de Atendimentos de Paraíso do Tocantins prendeu na última sexta-feira, 11, dois indivíduos por sequestro e cárcere privado de uma mulher de 23 anos, que havia desaparecido, em Palmas na última terça-feira, 8. 

De acordo com o delegado José Lucas Melo, a família da vítima obteve informações de que ela havia sido levada por um homem até uma fazenda localizada na zona rural de Paraíso. Então, constataram a informação e encontraram a moça.  Com o acionamento da Polícia Civil, a equipe foi ao local e conduziu até a Central de Atendimento da PC-TO, em Paraíso, quatro homens que lá estavam. 

Dois deles, de 36 e 37 anos, foram presos pelo crime de sequestro e cárcere privado. Após a realização das providências legais cabíveis, eles foram recolhidos à Unidade Regional Penal local. Os demais foram liberados, uma vez que a autoridade policial não verificou qualquer indício de prática delituosa por parte deles. 

O delegado responsável pelo caso, José Lucas Melo explicou que a mulher foi até um bar em Taquaralto onde conheceu algumas pessoas. "Ressalta-se que esse fato ocorreu na última terça-feira, dia 8 e, de lá, a vítima foi junto com um dos homens até a propriedade rural. No local, foi impedida de ir embora ou mesmo de fazer contato com seus familiares", disse o delegado. 

“Neste primeiro momento foram autuados os dois homens contra os quais recaem a responsabilidade por este ato”, complementou a autoridade policial.  

A investigação continuará para o total esclarecimento dos fatos, a fim de verificar eventual prática de outros crimes e o envolvimento de outras pessoas. 

Por fim, a autoridade policial faz um alerta aos familiares e responsáveis para que ao menor indício de que algo possa ter ocorrido a um ente querido, que alterou sua rotina, ficou certo tempo sem manter contato, não responde ligações e nem visualiza mensagens de celular, para que procurem de imediato uma Delegacia da Polícia Civil e informem os fatos a fim de que a PC-TO possa dar início às investigações.

“É importante destacar a necessidade de acionar rapidamente a polícia em tais casos, pois graças à pronta intervenção da equipe foi possível deter os autores do caso. Um deles, de 36 anos, já é conhecido do meio policial em razão do envolvimento em crimes anteriores nas regiões de Paraíso e Porto Nacional, inclusive com condenação anterior. Agora, novamente fica à disposição do Poder Judiciário”, concluiu.

Notícias Relacionadas »
Comentários »