MENU

19/04/2022 às 12h57min - Atualizada em 19/04/2022 às 12h57min

Por que amamos tirar selfies?

Psicologia do Dia a Dia

Ismael Souza
Uma selfie antes do almoço, uma selfie no trabalho e quem sabe, tomando aquela cervejinha no final de semana. Quem resiste a um autorretrato digital hoje em dia? Como humanos, nossa necessidade de eternizar momentos vem de muito longe: as pinturas rupestres, as mumificações egípcias que resguardavam o corpo a fim de podê-lo usar novamente, as pinturas barrocas, o renascentismo. Em todas as épocas, em todos os lugares, sempre houve uma necessidade do homem de preservar o momento. A primeira fotografia de que se tem registro foi tirada na França, em 1826, por Joseph Nicéphore Niépce. Em pouco tempo, esta técnica se tornou um fascínio popular maior que as pinturas da época, pois, como diz André Bazin (1918-1959), influente crítico de cinema que nunca chegou a ver o advento da selfie ou sequer uma foto digital, “a fotografia não cria, como a arte, eternidade, ela embalsama o tempo, simplesmente subtrai à sua própria corrupção”.

Mas por que não resistimos a uma selfie? A resposta pode não ser tão boa quanto postar uma foto no Instagram: segundo um artigo da Georgia University, este hábito pode estar no desejo de autopromoção, pois “o fenômeno cultural do selfie expõe assim um desejo humano de se sentir notado, apreciado e, finalmente, reconhecido. Portanto, mesclam arte, conexão social e padrões de autoimersão”. As redes sociais são impulsionadas pelas ferramentas interativas como os botões “curtir” ou “gostei” e o espaço para comentários, o que pode eliciar uma crença de que muitos “gostei”, “curtidas” e comentários são validações, aprovações sociais, o que pode afetar o humor quando não se tem os números preteridos de interações ou aumentar a produção de conteúdo de autopromoção justamente pelo número alto das mesmas, portanto, é possível sim viciar-se em selfies e ter prejuízos em sua vida pessoal e no trabalho; num artigo da revista "Psychology Today", Pamela Rutledge, diretora de Psicologia e Mídia do Centro de Investigação em Boston (Massachusetts), afirmou que: "os 'selfies', muito frequentemente têm o poder de desencadear a busca excessiva de atenção e de dependência social, indicativas da baixa autoestima e do narcisismo pessoal".

O que seria um comportamento saudável de tirar selfie? Não existe uma regra ou um manual sequer, o bom senso ainda vale em qualquer situação, todavia espera-se que suas fotos não sejam apenas sobre você, mas incluam paisagens, animais, outras pessoas. Algo que não seja apenas sobre autoengrandecimento, já pensou em mostrar algo do seu interesse ou algo que ama? Também existe os benefícios das selfies, como emponderar pessoas ou causas (ativistas, pessoas consideradas fora do padrão), aproximar pessoas, fazer conexões, ser escalado para um trabalho. Um estudo publicado no periódico científico Psychology of Well-Being diz que tirar uma selfie ou foto de algo que se gosta pode melhorar o humor positivamente. Sim, seu celular pode te fazer bem de vez em quando.
______________________________________________________________________________________________________
Referências: O Que é Cinema? (André Bazin, Ubu Editora, 2018), Psychology of Well-Being (https://psywb.springeropen.com/), Psycholgy Today (www.psychologytoday.com).
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »
OPROGRESSONET Publicidade 1200x90