MENU

05/04/2022 às 22h11min - Atualizada em 05/04/2022 às 22h11min

Policial penal é preso suspeito de participar de vários assaltos no Tocantins e na Bahia

Os suspeitos roubaram um veículo em Luís Eduardo Magalhães, na Bahia

Da Redação
Com Informações da PM/TO e SINDIPPENTO
O Policial Penal é suspeito de praticar vários assaltos na região sudeste do Tocantins e na Bahia - Foto: Divulgação
 
Dois homens foram presos pela Polícia Militar, nesta segunda-feira (4 de abril), suspeitos de cometerem diversos assaltos no Tocantins e na Bahia. Segundo a polícia, a dupla atuava na região sudeste do estado e nas cidades da Bahia que fazem divisa com o Tocantins.

Os suspeitos foram presos em flagrante no município tocantinense de Dianópolis, após roubarem um veículo na cidade de Luís Eduardo Magalhães (BA).

Um dos suspeitos é o policial penal Lúcio Garcez da Silva Pereira, que estava lotado na Unidade Penal de Natividade. Lúcio ingressou na Polícia Penal após o concurso público realizado em 2017.

O outro suspeito detido foi identificado como Daniel Silva Lopes e segundo informações da polícia, possui uma extensa ficha criminal e é considerado de alta periculosidade.

Com a dupla, foram apreendidas armas de fogo, munições e o veículo que havia sido roubado juntamente com os pertences levados das vítimas. Os suspeitos foram levados para a Delegacia da Polícia Civil de Dianópolis.

O Sindicato dos Policiais Penais do Tocantins (SINDIPPENTO) parabenizou a atuação da Polícia Militar e lamentou o envolvimento do servidor.

NOTA DE ESCLARECIMENTO – SINDIPPENTO

“Em relação à recente prisão de uma quadrilha que praticava roubos na região sudeste do Estado, o Sindicato dos Policiais Penais do Tocantins (SINDIPPENTO) parabeniza a atuação da Polícia Militar na prisão e elucidação dos fatos que envolvem um servidor do Sistema Penal do TO.

Além disso, reforçamos nosso compromisso com a sociedade, e informamos que a entidade, como representante da classe, acompanhará todo o processo, até a finalização e tomará as medidas legais em relação à expulsão do associado, caso seja comprovado o envolvimento nos crimes.

Ressaltamos ainda que nosso compromisso maior é sempre com a segurança da população e com a prestação de um serviço honesto, baseado na ética e na moral, e que não compactuamos com qualquer que seja o desvio de conduta de nenhum servidor.

Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »