MENU

03/10/2020 às 00h00min - Atualizada em 03/10/2020 às 00h00min

Inquérito sorológico da Covid-19 contempla Imperatriz

Pesquisa populacional domiciliar será realizada por amostragem, para avaliar as prevalências de anticorpos contra o vírus

Kalyne Cunha
Ascom/PMI
Foto: Divulgação
Secretaria Municipal  de Saúde sedia reunião sobre a 2ª fase do Inquérito Sorológico sobre a Covid-19. Ação é realizada em parceria com a Universidade Federal do Maranhão (UFMA), Conselho de Secretarias Municipais de Saúde do Estado do Maranhão (COSEMS/MA), Secretaria  de Estado da Saúde (SES-MA).

Pesquisa se baseia em uma entrevista e teste sorológico de sangue, que será processado pelo Laboratório Central do Estado (LACEN/MA), para detectar se a pessoa já esteve exposta ao vírus e se desenvolveu anticorpos. Objetivo é saber a prevalência, ou seja, a imunidade para diagnosticar o perfil do município. O inquérito será executado em 66 municípios do estado, distribuídos nas 19 regionais de saúde, entre 19 a 30 de outubro.

De acordo com os números da Covid-19 em Imperatriz, nos meses de agosto e setembro, houve uma reconfiguração na pesquisa. A cidade saiu de 8 setores censitários, onde cada setor envolve 200 domicílios, para 30 setores censitários.  Com a mudança, é estimado que a cidade possa fazer, em duas semanas, aproximadamente mil e vinte abordagens nos  domicílios, com número respectivo de coletas.

A secretária municipal  de Saúde, Mariana Jales, destaca que a “prevalência vai nos dar um estudo de como está a imunidade, quem contraiu ou não o coronavírus e de como estamos frente ao cenário de pandemia.  Na segunda fase do inquérito sorológico, Imperatriz será a primeira cidade a fazer uma amostragem como um todo. A partir dessa prevalência, o município terá uma visão  epidemiológica, em que serão desenvolvidas ações e analisado o comportamento da população frente à  pandemia”, conclui. A secretária-adjunta de  Saúde no município, Doralina Marques, explica como funcionará a parceria do município. “Teremos uma capacitação específica para todos nossos servidores envolvidos no estudo. Os Agentes Comunitários  de Saúde (ACS) participarão para acompanhar as equipes nas abordagens aos domicílios, escolhidas por meio de sorteio.  A coleta será realizada por um técnico do município e o armazenamento será feito por uma unidade  de referência, a entrevista por um servidor do estado e a entrevista terá a parceria da UFMA e também do estado e a logística com os demais parceiros”.  

Para combater fake news, a secretária-adjunta pontua que, “os Agentes Comunitários de Saúde estarão devidamente equipados e caracterizados. Caso a equipe identificar algum respiratório sintomático farão as orientações para que procurem as unidades de referência para Covid-19. Na oportunidade, será desenvolvido um trabalho de educação para a população sobre a pandemia”. Equipe é composta por um entrevistador do estado e um coletador do município, auxiliado por um Agente Comunitário de Saúde.

A partir da pesquisa, haverá análise por região, município – neste caso específico Imperatriz, variáveis como idade, sexo, escolaridade, comportamento quanto às medidas preventivas à Covid-19, como o uso de máscara e o distanciamento, uso ou não de transporte coletivo, distanciamento domiciliar, bem como outros pontos. Será feito um recorte do mês de  março a outubro. Após sistematização e compreensão dos dados, serão  traçadas ferramentas para combater a doença.

Os resultados dos testes sorológicos serão divulgados na casa do cidadão, por meio dos Agentes Comunitários  de Saúde, através da coordenação da Vigilância Epidemiológica e coordenação da Atenção Básica. O material será processado e os resultados estudados, para compor um relatório a ser publicado com acesso livre da população.

Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Loading...