MENU

23/02/2022 às 22h21min - Atualizada em 23/02/2022 às 22h21min

Suspeito de falsificar diploma de medicina é alvo da PF no Tocantins

Um médico formado na Bolívia tentou burlar o Revalida com diploma falso

Com informações da Assessoria de Comunicação PF Tocantins
Foto: Divulgação/PF/TO
 
A Polícia Federal deflagrou nesta quarta-feira (23/2) uma operação no Tocantins para desarticular um esquema criminoso de falsificação de diplomas, assinaturas e carimbos de universidade federal. 

A operação ‘Diploma do Crime’ foi autorizada pela 4ª Vara Federal de Palmas. Os agentes cumpriram mandado de busca e apreensão no município de Porto Nacional contra um indivíduo que teria recebido grande soma de valores por meio do esquema de falsificação de diplomas.
  
A investigação teve início após uma pessoa tentar revalidar seu diploma, através do método simplificado, perante o Conselho Regional de Medicina do Tocantins (CRM).  

A pessoa havia cursado medicina em Cochabamba, na Bolívia. No entanto, com a ajuda de terceiros, tentou burlar o revalida, apresentando documento de revalidação que teria sido emitido pela Universidade Federal de Pernambuco (UFPE), não obstante nunca ter comparecido à referida instituição.  

Conforme a PF, o indivíduo que promoveu a falsificação utilizou-se de carimbos e assinaturas do Reitor, bem como do Diretor da Universidade Federal de Pernambuco, que não foram  reconhecidos pela instituição de ensino. A investigação agora busca o possível envolvimento de outros fraudadores, bem como a verificação da prática de outras fraudes.  

Os envolvidos podem responder, na medida de suas responsabilidades, pelos crimes de falsificação de documento público (art. 297, do Código Penal), uso de documento falso (art. 304, do Código Penal) e estelionato (art. 171, do Código Penal), com penas que somadas podem ultrapassar 15 anos de reclusão.

Notícias Relacionadas »
Comentários »