MENU

25/10/2021 às 18h41min - Atualizada em 25/10/2021 às 18h41min

PM acusado de matar médico em Imperatriz é exonerado

Adonias Sadda era lotado no 3º BPM e permanecerá na cadeia até que seja julgado

Dema de Oliveira
Adonias Sadda será transferido para um presídio nos próximos dias - Foto: Divulgação/Polícia
 
A família do médico Calaça informou nesta segunda-feira (25) que o policial militar Adonias Sadda foi exonerado da PM-MA. 

O que ensejou que o PM Adonias fosse exonerado dos quadros da PM é acusação que pesa contra ele, de ser o autor do assassinato de que foi vítima o médico Bruno Calaça, crime considerado de motivo fútil. Adonias Sadda será julgado pelo Tribunal do Júri. Por enquanto, ele ainda se encontra em uma das delas do Quartel do 3º BPM, mas deve seguir ainda essa semana para um dos presídios de São Luís e só retorna para ser submetido a audiência. 

Adonias Sadda responde outro processo, onde é acusado de atropelar e matar Hiego Santos, de quatro anos, em Imperatriz. O caso aconteceu há seis anos e continua em tramitação na justiça. 

Esta também não é a primeira vez que Adonias Sadda responde por processos internos de investigação da PM do Maranhão. Há cinco anos, ele foi absolvido de um caso de abuso de autoridade, após ter sido acusado de dar um soco em uma advogada durante uma abordagem policial. Segundo a denúncia, Adonias Sadda deu um forte soco na vítima, que era passageira de um veículo que estaria fazendo manobras perigosas. À TV Mirante, a vítima que não quis se identificar, afirmou que se apresentou à polícia e que o PM foi truculento e, após questionar a apreensão do veículo, foi agredida.

“Ele foi muito grosso, muito ignorante. Eu falei ‘você vai me agredir’, quando eu cheguei perto dele falando isso, ele me agrediu. Ele me deu um soco no lado esquerdo do rosto, na mandíbula, e imediatamente eu comecei a chorar e fiquei nervosa”, disse a mulher. 

Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Loading...