MENU

03/08/2021 às 20h35min - Atualizada em 03/08/2021 às 20h35min

Atuação integrada das forças de segurança do Governo do Tocantins resulta em queda nos índices de criminalidade no Estado

Balanço trimestral das ações foi apresentado em coletiva de imprensa nesta terça-feira, 3, no Palácio Araguaia

Governo do Tocantins
Balanço trimestral das ações desenvolvidas pela Segurança Pública, polícias Militar e Civil e Corpo de Bombeiros Militar aponta redução de diversas naturezas - Foto: Luiz de Castro/Governo do Tocantins
  
O segundo trimestre de 2021 marcou uma queda significativa nos índices de criminalidade no Estado, fruto do trabalho integrado realizado pelas forças de segurança do Tocantins. O balanço trimestral das ações desenvolvidas pela Secretaria de Estado da Segurança Pública (SSP) do Tocantins, em parceria com a Polícia Militar (PM-TO), Polícia Civil (PC-TO) e Corpo de Bombeiros Militar (CBM-TO), aponta redução de diversas naturezas. O balanço foi apresentado em coletiva de imprensa nesta terça-feira, 3.

Produzido com auxílio das áreas técnicas da secretaria e das instituições vinculadas, o balanço traz os resultados alcançados ao longo do trimestre e do primeiro semestre deste ano, detalhando as políticas de gestão implantadas pela pasta e os números das ações executadas. Os dados são apurados pelas Estatísticas Criminais e, por meio deles, a gestão pode mapear, diagnosticar e analisar os crimes e os locais onde eles ocorrem.

Crimes contra a vida e contra o patrimônio

Os Crimes Violentos Letais Intencionais (CVLI) apresentaram queda de 6,2% no segundo trimestre e de 20,2% no primeiro semestre deste ano, comparados com o mesmo período de 2020. Os crimes de furto e roubo também apresentaram redução nos atendimentos de 26% e 37%, respectivamente, em comparação aos dados do segundo trimestre do ano anterior. Em 2020, foram 1.664 ocorrências atendidas, enquanto em 2021 foram 1.155 ocorrências de furto e roubo.

Para o secretário de Estado da Segurança Pública do Tocantins, Cristiano Sampaio, os números positivos dão seguimento a várias políticas que vêm sendo implementadas pelo Governo do Tocantins. “O trabalho de integração realizado por todas as forças de segurança é a resposta da implementação das políticas ao longo dos últimos dois anos, entre elas, o Sistema Integrado de Metas, composto por ações integradas no âmbito do sistema de segurança pública e defesa social tocantinense. Com o sistema, ocorreu a elaboração, de forma conjunta, do fortalecimento de estratégias e consequentemente o alcance das metas de redução criminal permanente e construção de um estado mais seguro para se viver”, ressaltou o secretário.

Polícia Militar

Dados do balanço trimestral apontam uma redução significativa nos atendimentos de ocorrências de diversas naturezas, pela Polícia Militar do Tocantins, a exemplo dos crimes de furto e roubo que apresentaram redução de 26% e 37%, respectivamente, nos atendimentos, em comparação aos dados do segundo trimestre do ano anterior. Em 2020, foram 1.664 ocorrências atendidas, enquanto em 2021 foram 1.155 chamados para atender ocorrências de furto e roubo.

Nos três últimos meses deste ano, os crimes de homicídio reduziram 22,1%. Enquanto em 2020, a Polícia Militar atendeu 68 ocorrências de crimes contra a vida; e em 2021, foram 53. Os dados relacionados às tentativas de homicídio também apresentaram redução e de 118 casos em 2020 caíram para 88 atendimentos em 2021. Os casos de violência doméstica também apresentaram nos meses de abril, maio e junho de 2021 redução de 35,3%. 

Para o comandante-geral da Polícia Militar, coronel Júlio Manoel da Silva Neto, as ações integradas impactam diretamente no combate à criminalidade no Tocantins. “Temos deflagrado operações integradas com outras forças de segurança, em todo território tocantinense, blindando e coibindo qualquer tipo de ação delituosa com objetivo de aumentar a sensação de segurança do cidadão e impedir o avanço da criminalidade”, destacou.

Polícia Civil

Dados consolidados no Balanço Trimestral das Estatísticas Criminais demonstram estabilidade na produtividade da Polícia Civil do Tocantins. Neste segundo trimestre de 2021, foram 4.036 inquéritos instaurados (IPs), número que se manteve regular se comparado ao mesmo período do ano passado onde houve o registro de 4.077 IPs. Como resultado dos procedimentos, 957 autores foram presos, representando uma queda de 4,7% se comparado ao mesmo período do ano passado quando foram presas 1.004 pessoas.

Nas ações de combate ao tráfico de drogas, o aumento da produtividade policial foi de 10,5%, no trimestre, com 221 casos este ano; e 200, em 2020. Quanto ao registro de posse e porte de armas de fogo, o aumento na produtividade foi de 36,2% nas apreensões, sendo 94 casos neste ano e 69 em 2020.

Para a delegada-geral da Polícia Civil, Raimunda Bezerra, os números são a confirmação de que as políticas de segurança pública têm caminhado no rumo certo. "O planejamento estratégico traçado cumpre o importante papel de organizar e dar norte às ações. Mas tudo só se concretiza pela abnegação, pela técnica e pelo profissionalismo desses policiais, que dedicam suas vidas à missão de promover um estado mais seguro e proteger a todos tocantinenses, o que fazem com excelência", afirmou a delegada-geral.

“Continuamos firmes no combate à criminalidade, promovendo ações conjuntas com demais órgãos na fiscalização de medidas sanitárias e, ainda, com monitoramento constante de dados e eventos, permitindo avaliar mudanças no comportamento dos criminosos em razão da pandemia”, finalizou Raimunda Bezerra.

Corpo de Bombeiros

Os atendimentos operacionais do Corpo de Bombeiros Militar (CBMTO), referentes aos meses de abril, maio e junho deste ano, apontam um crescimento de 4,9%. Os dados são comparados com o mesmo trimestre de 2020, quando a pandemia da Covid-19 já estava em seu auge, no Brasil e, internamente, começando a avançar no estado do Tocantins.

As ações com maior contribuição no aumento do índice são combate a incêndios, com 135 ocorrências a mais. Em 2020, foram registrados 277, contra 412 em 2021, revelando aumento de 48,7% nessa natureza de atendimento. Busca e salvamento apontam 119 registros a mais neste trimestre: em 2020 houve 373, contra 492 em 2021, ou seja, um percentual de 31,9% a mais no comparativo dos dois anos.

Por outro lado, o Atendimento Pré-Hospitalar (APH), em que os socorristas vão para os locais de acidentes de trânsito, registrou queda de 7% no trimestre. Em abril, maio e junho de 2020, foram 1.524 ações contra 1.418 deste ano. As chamadas Atividades Preventivas também registraram leve queda, chegando a 3,9% (2020 foram registradas 180 ações e 172 em 2021). Ainda na oferta de ações de defesa civil o percentual de queda foi de 1,6% (368 em 2020, contra 362 em 2021).

O balanço geral feito pelo Comando Operacional do CBMTO destaca que, no total, válido para o trimestre, foram registrados 2.865 atendimentos. Em 2020, o volume chegou a 2.732, com leve queda de 3,5% nos registros operacionais e preventivos. 

Na área dos atendimentos preventivos, onde está inserida a Diretoria de Serviços Técnicos (Distec), não houve acréscimo nas atividades ofertadas. Para o período de 2021 foram 14,4% a menos nos atendimentos comparando com o mesmo trimestre do ano passado, ou seja, 1.793 atendimentos em 2021 contra 2.095 em 2020.

O comandante-geral do CBMTO e coordenador Estadual da Defesa Civil, coronel Reginaldo Leandro da Silva, destacou o importante trabalho integrado realizado pelas forças de segurança, com operações como a Força-Tarefa e Tolerância Zero, dentre outras ações, que resultaram nesta redução dos índices apontados pelo balanço. “Vivemos ainda em pandemia, mas aprendendo a viver com esse vírus e, com isso, a população saiu mais para balneários e outros espaços, o que fez aumentar as nossas ocorrências, algo já esperado e que estamos prontos para atender”, ressaltou.  

A publicação das estatísticas criminais na página oficial da SSP na internet (www.ssp.to.gov.br) cumpre com os princípios da transparência e do acesso à informação.
 

Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Loading...