MENU

16/06/2021 às 09h25min - Atualizada em 16/06/2021 às 09h25min

Carlos Hermes fala do suposto recolhimento de veículos da Secretaria Municipal de Saúde do município

Sidney Rodrigues
ASSIMP
Carlos Hermes fala do suposto recolhimento de veículos da Secretaria Municipal de Saúde - Fotos: Fábio Barbosa
  
No uso da Tribuna na manhã desta terça, 15, o vereador Carlos Hermes expôs que na última sexta recebeu denúncias de que a empresa credcard, supostamente levaria 10 veículos da SEMUS (Secretaria Municipal de Saúde) em cumprimento a uma diligência.
O vereador informou ter procurado informações com a representação da empresa, mas nada foi dito. O coordenador de logística da SEMUS se limitou a dizer que estariam em fase de distrato, portanto os veículos seriam recolhidos da secretaria. Para ele está muito obscura a situação.
 
“Os relatos que recebi de funcionários da saúde é de que os veículos estavam rodando e simplesmente pararam no meio da rua, pois os carros tem um sistema eletrônico de bloqueio. Tiveram que deixar os carros no meio do nada e inclusive com constrangimento passado pela secretária Mariana Jales que estava em uma das camionetes. Ela não retorna ligações e nem presta esclarecimentos públicos ao parlamento, o que nos faz ficar com a versão da denúncia. O que nos parece é que não nos recebem, nem retornam por que não estão cumprido com os compromissos e essa já é a segunda vez que dezenas de veículos são levados por falta de pagamento”, disse.
 
Segundo ele, pagamentos de funcionários e alugueis estão sem pagamento há 6 meses, muitas coisas sem funcionar, fornecedores quebrando, cirurgias sendo canceladas e faltando até antibióticos simples, enquanto muitos se mantem calados e o povo sofre sem medicamento no Socorrão e nos postos de saúde. Condições de trabalho terríveis, o que coloca os profissionais de saúde numa situação de impotência total.

Flamarion Amaral que é enfermeiro disse ser vergonhosa a forma que a saúde de Imperatriz está sendo tratada, e espera que o prefeito vá até a Câmara para explicar porque não estão pagando os alugueis, veículos, salários, prestações de serviço e vários outros fornecimentos. Não tem antibióticos, anestésicos, cirurgias estão deixando de ser feitas e os pacientes nos corredores sofrendo, na segunda maior cidade do estado do Maranhão.
 
“Quem pode responder é somente o prefeito. Se assumiu a cidade, tem que dar explicações, mas sumiu. A cidade acabada, sucateada, a tal usina de asfalto não funciona e não dão retorno de nada para a população. Vacinação quase parada, setores públicos prejudicados, não dão explicação a sociedade e este é o grande problema da reeleição. Quem já venceu não está mais preocupado com a cidade”, disse Ricardo Seidel
 
Para Adhemar Freitas Jr não há nada de novo, pois já aconteceu recolhimento de carros por falta de pagamento, e o grande problema é que Imperatriz não sabe quanto deve, nem o motivo de tantos atrasos de fornecedores em todas as pastas. “Secretários fazem gestão com o que tem nas mãos e o gestor da Fazenda, nunca veio na Câmara, sequer respondeu a convocação do parlamento. Perguntas sem respostas e o legislativo está calado. Se a prefeitura enfrenta dificuldades financeiras que diga, é o que a população espera”.
 
Carlos Hermes exige que a cidade seja respeitada e que a base do governo municipal faça seu papel, com coerência, fiscalize, cobre, exija a correta aplicação dos recursos financeiros do município. Reafirmou que a cidade é maior que isso e que espera do parlamento uma relação de respeito mútuo dos poderes.

Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Loading...