MENU

19/05/2021 às 20h33min - Atualizada em 19/05/2021 às 20h33min

Polícia Civil rende hacker foragido da ‘Operação Ostentação’

Prisão aconteceu no Bairro Santa Rita, onde o alvo estava homiziado em uma residência

Dema de Oliveira
Hacker foragido da ‘Operação Ostentação’ é preso no Santa Rita - Foto: Divulgação/PC-MA
A Polícia Civil do Estado do Maranhão, em operação conjunta, entre a Superintendência Estadual de Investigação Criminal (SEIC) e Grupo de Pronto Emprego (GPE), da 10ª Delegacia Regional de Polícia Civil em Imperatriz, cumpriu mandado de prisão em desfavor de L. C. M. Pesa contra ele a acusação de envolvimento com uma quadrilha de hacker em Imperatriz. Era considerado foragido da Justiça. 

O acusado foi localizado homiziado em uma casa no bairro Santa Rita. A prisão de LCM faz parte do desdobramento da segunda fase da ‘Operação Ostentação’, que iniciou em Imperatriz em dezembro de 2020. 

Segundo as investigações, essa quadrilha desviou cerca de R$ 13 milhões do banco virtual Nubank.  O banco informou à polícia que descobriu a invasão depois que recebeu um número atípico de reportações de acessos irregulares em 918 contas dos clientes, entre outubro de 2019 e maio de 2020, sendo que 438 invasões ocorreram a partir do município de Imperatriz. 

As investigações sobre a atuação do grupo criminoso iniciaram em fevereiro do ano passado, quando foi deflagrada a 1ª fase da operação Ostentação. Nesta ação, foram presas dez pessoas, sendo nove em Imperatriz e uma em São Luís.

A segunda fase da operação Ostentação ocorreu em dezembro do ano passado e prendeu mais 34 pessoas — sendo 29 presos no Maranhão, um em Tocantins e dois em Goiás. Ainda foram apreendidos onze veículos de luxo e houve o bloqueio de R$ 3 milhões em contas de suspeitos. Com mais essa prisão, já somam 48 prisões.

Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Loading...