MENU

12/02/2021 às 00h00min - Atualizada em 12/02/2021 às 00h00min

Chega a mais de 500 o número de presos no Maranhão em 2020 suspeitos de violência doméstica

Em 2021, até esta quinta-feira (11), seis casos de feminicídio já foram registrados no estado

Ascom/SSP
Casa da Mulher Maranhense na Vila Nova em Imperatriz, onde funciona a Delegacia da Mulher - Foto: Dema de Oliveira/O PROGRESSO
Ao longo de 2020, 518 pessoas foram presas após se envolverem em casos de violência doméstica e feminicídio no Maranhão, segundo informações da Superintendência de  Homicídio e Proteção a Pessoas do Estado do Maranhão (SHPP-MA). No ano passado, o número de mulheres mortas chegou a 60. Em 2021, até esta quinta-feira (11), seis casos já foram registrados no estado.

“Esses crimes sempre foram tidos como fruto de relações familiares e teriam de ficar restritos a esse ambiente. Por essa razão, eles não chegavam às delegacias. Mas tudo isso foi sendo descortinado e os casos passaram a ser investigados, pois se passou a compreender que não se tratavam apenas de brigas de marido e mulher, mas crimes que precisavam da atenção estatal, para que a mulher conseguisse se livrar dessas relações tóxicas”, diz a delegada Wanda Moura, chefe do Departamento de Feminicídio.

Ao todo, em 2020, 4.071 Medidas Protetivas de Urgência (MPU) foram registradas e o número de estupros denunciados chegou a 72. “Esse tipo de violência sempre existiu, mas de maneira camuflada. A lei, por si só, não garante que a mulher tenha uma vida livre de violência, mas ajuda muito, na medida em que aparelha o estado e dá estrutura para que consigamos ajudar essa mulher a romper com esse ciclo da violência”, completou a delegada.

De acordo com dados da Secretaria de Segurança do Maranhão (SSP-MA), o mês de agosto foi o que mais registrou casos em 2020, com nove no total. No mês de janeiro, um caso foi registrado; outros seis em fevereiro; mais seis em março; em abril os registros subiram para oito; e caíram para quatro em maio; junho registrou cinco casos; julho também registrou mais cinco; mais cinco em setembro; três em outubro; seis em novembro e mais dois em dezembro.

Casos de feminicídio no Maranhão

Um estudo realizado pela Defensoria Pública do Maranhão (DPE/MA) apontou que, de janeiro a agosto de 2020, 2,4 mil atendimentos de casos de violência contra a mulher foram registrados no estado. Os números representam uma média de 300 registros por mês.

A defensora pública Lindevania Martins afirma, que a maior parte dos casos de agressão, acontecem no seio familiar e são praticadas por companheiros ou ex-companheiros, com quem a mulher tem filhos. Além disso, mulheres que são dependentes financeiramente e psicologicamente dos companheiros também são as que mais sofrem.

Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Loading...