MENU

24/05/2022 às 19h27min - Atualizada em 24/05/2022 às 19h27min

Suzano na Expoindústria 2022: o modelo de negócio aliado à inovabilidade

A empresa estará presente com palestras nos setores da indústria e floresta.

Assessoria de Imprensa da Suzano
Foto: Divulgação
 
Na semana em que é comemorado o Dia da Indústria, a Suzano, referência global na fabricação de bioprodutos desenvolvidos a partir do cultivo de eucalipto, é presença confirmada na 4ª edição da Expo Indústria Maranhão, entre os dias 26 a 29 de maio, no Multicenter Negócios e Eventos, em São Luís/MA. 

A companhia contará com um estande institucional, apresentando seu modelo de negócio, processo produtivo, além de iniciativas socioambientais e levará ao evento palestras com temáticas voltadas à inovabilidade (inovação com sustentabilidade) nos setores da indústria e floresta.  

José Wilhelms Ventura, Gerente Executivo Industrial da fábrica Suzano Unidade Maranhão, avalia que a 4ª edição da Expo Indústria se consagra como uma vitrine do setor produtivo do estado. “A Expoindústria é um evento de grande expressão, reunindo os setores econômicos, permitindo intercâmbio de informações, experiências e geração de negócios. Nós da  Suzano estamos felizes em marcar presença em mais uma edição e vamos com a expectativa por bons resultados. Nesse cenário de retomada, a iniciativa ganha ainda mais significado, pois evidencia a força da indústria maranhense.” destaca o executivo. 

Confira a programação: 
No dia 27, a partir da 20h, o Gerente de Meio Ambiente Industrial da fábrica de Imperatriz, Carlos Alexandre de Souza, ministrará a palestra com o tema “Central de Corretivos de Solos” quando apresentará as iniciativas e soluções ambientais responsáveis pelo beneficiamento de resíduos industriais e produção de corretivo de acidez de solo, que abastecem florestas de eucalipto da empresa nas regiões onde atua, evitando que materiais inorgânicos sejam destinados em aterros industriais.  

Já no dia 28/5, a gestora ambiental, responsável pela Estratégia Climática da companhia, Sarita da Cunha Marques, participará online do painel com a Aço Verde Brasil, sobre “Carbono Neutro, alternativa para uma indústria sustentável”.  No sábado, 29, no encerramento da feira, Alzemar José Veroneze, especialista de Pesquisa & Desenvolvimento - Solos, Nutrição e Manejo Florestal da Suzano, ministra o painel sobre “Projeto integração lavoura, pecuária e floresta”.  

As temáticas vão de encontro com o que é defendido pela empresa, que tem a remoção de carbono da atmosfera como uma das suas principais metas de longo prazo. No ano passado a Suzano antecipou para 2025 a meta que visa capturar 40 milhões de toneladas de carbono da atmosfera - inicialmente, a companhia previa atingir o resultado somente em 2030. Além disso, a empresa mantém iniciativas e frentes efetivas para reduzir emissões em suas operações próprias, ampliando a remoção de carbono no planeta. 

Gestão eficiente e Sustentabilidade – Tendo a sustentabilidade como parte essencial do seu negócio, a Suzano se comprometeu com um conjunto de 15 metas de longo prazo, os “Compromissos para renovar a vida”. Entre elas está o objetivo, anunciado em 2021, de conectar, até 2030, um total de meio milhão de hectares de áreas prioritárias para a preservação nos biomas Cerrado, Mata Atlântica e Amazônia.
  
Outros destaques são o objetivo da empresa de oferecer 10 milhões de toneladas de produtos de origem renovável, desenvolvidos a partir da biomassa, para substituir plásticos e outros derivados do petróleo, e de contribuir diretamente para que 200 mil pessoas, que vivem nas regiões onde atua, saiam da linha da pobreza, ambos até 2030.  

Investimentos da Suzano no Maranhão – A companhia tem gerado no estado mais de 6,5 mil empregos diretos, além de ter uma produção anual de 1,69 milhão de toneladas de celulose e 60 mil toneladas de papéis sanitários, atendendo não só o mercado da cidade onde está inserida a sua fábrica – Imperatriz- , mas toda a população maranhense. Em paralelo, para garantir uma maior eficiência nas exportações da companhia, foi inaugurado recentemente o Berço 99, construído no Porto do Itaqui. O terminal é estratégico para a continuidade do escoamento da celulose produzida na Unidade Imperatriz, transportada até o Porto por meio de uma malha ferroviária com 670 km de extensão. Além do novo Berço, um armazém está em fase de obra, representando em conjunto um investimento de R$ 390,2 milhões.  

Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »