MENU

03/05/2022 às 19h29min - Atualizada em 03/05/2022 às 19h29min

Dois homicídios em menos de 24 horas em Imperatriz

O primeiro caso aconteceu por volta de 20h de segunda-feira (2) e o segundo, nesta terça-feira (3) às 9h

Dema de Oliveira
Jornal O PROGRESSO
Fabricio Aquino. uma das vítimas de homicídio em Imperatriz - Fotos: Divulgação/Redes Sociais
 
A coisa está pegando no que diz respeito a ações criminosas violentas como crimes de homicídios, na segunda maior cidade do Maranhão. 

Já não bastasse os 15 casos registrados durante o mês de abril, que provocou aumento de mais de 66% em relação ao mês de março, o mês de maio chegou violento, pois foram registrados dois crimes de homicídios, em menos de 24 horas. Agora já são 40 casos de homicídio em Imperatriz de janeiro até agora.

O primeiro homicídio do mês de maio de 2022, foi registrado por volta de 20h, no Residencial Dom Felippe Gregory, localizado no Bairro Bom Jesus, na periféria, próximo a quadra de esportes.

A vítima, identificada por Fabricío Aquino, 18 anos, estava sentada em um banco, próximo ao alambrado da quadra, quando foi surpreendido por um indivíduo, até agora não identificado, que disparou quatro tiros praticamente a queima-roupa, todos na cabeça de Fabricio, que morreu no local. 

O Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU), chegou ir no socorro, mas foi apenas para testar o óbito. Segundo informações da polícia, embora ainda jovem, Fabrícío tinha passagens pela polícia. Ele residia no Parque das Estrelas, mas tinha se mudado para o Residencial Dom Felippe Gregory, recentemente.

Segundo caso

O segundo homicídio de maio, aconteceu por volta de 9 h da manhã desta terça-feira (3), ação criminosa ocorrida na Feirinha do Bacuri, no bairro Bacuri, durante discussão entre dois moradores de rua. 

A vítima foi identificada por Elindenberg Lima da Silva, 31 anos, que foi golpeado a faca e morreu instantaneamente em via pública, na Feirinha do Bacuri.

O autor das facadas que mataram Elindenberg, identificado apenas pelas iniciais de L. C. R. A., foi preso próximo a prefeitura, já no centro da cidade.

Ele foi apresentado na Delegacia Regional de Polícia Civil, e em seu depoimento disse que matou o seu parceiro de morador e em situação de rua, porque ele teria desrespeitado uma mulher, também em situação de rua, que estava junta com ele. 

O corpo de Elidenberg, foi removido do local após ter sido alvo de perícia e levado para o Instituto Médico Legal (IML), onde aguarda familiares. 

Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »