MENU

25/09/2020 às 00h00min - Atualizada em 25/09/2020 às 00h00min

Pecuária: produção do Brasil deve crescer 10% em 2020

Fonte: Abiec
Não faltaram  motivos para celebrar, em 19 de setembro, o Dia da Agropecuária. Segundo dados do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), o setor em 2020 deve ter um Valor Bruto de Produção (VBP) de R$ 771.4 bilhões, 10,10% superior em relação a 2019 e o maior já obtido na série histórica, iniciada em 1989. Destes números, R$ 252.3 bilhões são oriundos da pecuária.

Ainda segundo o Mapa, alguns produtos estão obtendo resultados nunca vistos antes, como a soja, milho, carne bovina, carne suína e ovos. Preços internos, superiores aos de 2019, e as exportações de carnes e grãos, principalmente para a China, impulsionaram esse desempenho favorável.

Para o zootecnista Celso da Costa Carrer, presidente da Comissão de Zootecnia e Ensino do Conselho Regional de Medicina Veterinária do Estado de São Paulo (CRMV-SP), há uma série de fatores que influenciam os bons resultados esperados para 2020.

Segundo ele, a competividade brasileira é uma delas, pois o tamanho do rebanho permite escalar grandes volumes de produção. Além disso, o uso de tecnologia própria e internalizada por nosso ecossistema de pesquisa e extensão há mais de 40 anos contribuem diretamente para a melhoria e o desenvolvimento contínuos do setor.

Carrer destaca ainda vantagens comparativas em relação ao clima, extensão de terras e custos de insumos utilizados, com relações de troca relativamente favoráveis. “Esse conjunto de fatores nos tornam muito competitivos no quesito preço.”

Na mesma linha segue o médico veterinário e membro da Comissão de Saúde Animal do CRMV-SP, Fábio Alexandre Paarmann. Segundo ele, os resultados de 2020 estão atrelados à competitividade, além do volume e preço das commodities.

“O nosso custo de produção é reduzido, e com o real, mais baixo que outras moedas, é mais vantajoso para vender os produtos”, disse Paarmann, que também é auditor fiscal federal agropecuário do Mapa.

Tecnologia, produção e espaço físico
Segundo a Associação Brasileira das Indústrias Exportadoras de Carnes (Abiec), nos últimos anos, o Brasil reduziu a área ocupada com o gado e ao mesmo tempo expandiu a produção de carne. De 1980 a 2018, a produtividade aumentou em 176% e a produção de carne cresceu 139%. Isso significa também que 250.6 milhões de hectares deixaram de ser desmatados com o aumento da tecnologia dos últimos anos.

O zootecnista Carrer explicou que, classicamente, da combinação dos fatores de produção (terra, trabalho e capital) é que são geradas as condições ideais para que se viabilize a produção e a agregação de valor nos produtos agropecuários. A tecnologia é considerada um quarto fator de produção, porque quando aplicada corretamente, deve economizar pelo menos um dos fatores anteriores.

“Neste sentido, quando se entra com uma tecnologia integrada, que resulta em conforto animal, manejo de pastagens, genética adaptada, biotécnicas de reprodução e formas mais precisas de gestão, melhorando as tomadas de decisão, intensifica-se a produção como medida de redução de impactos ambientais, sociais e econômicos”, disse o zootecnista.
“Além disso, aumenta-se o giro do capital e agrega-se valor aos produtos. O Brasil não precisa ampliar a área a ser explorada, mas recuperar a capacidade de produção de áreas subexploradas na pecuária”.

Números do setor
Segundo dados da Abiec, foram exportadas 191.000 toneladas de carnes, resultando em uma receita de US$ 750 milhões. Os principais mercados para os produtos brasileiros são a China (40,93%), Hong Kong (15,93%), Egito (8,44%,), Chile (5,56%) e Estados Unidos (3,70%).

Dados da Associação Brasileira de Proteína Animal (ABPA) mostram que em 2019 foram produzidas 13.245 milhões de toneladas de carne de frango, sendo 4.214 milhões exportadas, gerando uma receita de US$ 6.994 milhões. Em relação à carne suína, no mesmo período foram produzidas 3.983 milhões de toneladas, sendo exportadas 750.000 toneladas no valor de US$ 1.597 milhão de dólares.a

Quadro atual 
214.69 milhões de cabeças de gado.
44.23 milhões de cabeças abatidas.
10.96 milhões de toneladas de carne bovina (TEC) produzidas.
8.75 milhões de toneladas de carne bovina (TEC) ficam no mercado interno.
2.21 milhões de toneladas de carne bovina (TEC) são exportadas.
Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Loading...