MENU

07/11/2021 às 11h15min - Atualizada em 07/11/2021 às 11h15min

Mais do que um produto de beleza, o batom arremata qualquer produção

Da Redação
GB Edições
Cabe ao batom dar o destaque final, por isso a escolha da cor deve ser cuidadosa e não vale combinar a cor do batom com a cor da roupa ou a do esmalte, e sim levar em conta o tipo de maquiagem que tem no rosto.
  
Ah, o batom! Quase que o seu império foi arruinado pelas máscaras. As tão necessárias máscaras, acessórios da nossa saúde, fundamental para proteger o nosso sistema respiratório, mas esconde a nossa boca. No entanto, quem gosta de batom não se deixou intimidar e continua usando o batom que, por sua vez, é fundamental para a saúde dos lábios, além de embelezar, dar charme e sensualidade etc.

Conta a história que o hábito de colorir os lábios entre as mulheres é mais antigo do que se imagina, mas ganhou popularidade no Século XVI quando os lábios vermelhos e pele do rosto branca era moda, mas acessível somente aos ricos. O batom era fabricado a partir de uma mistura de cera de abelha e extratos vegetais que davam a cor.  Mas, logo depois, usar batom passou a ser considerado vulgar.

Foi no ano de 1884 que apareceu o primeiro batom comercial inventado por perfumistas de Paris; era vendido enrolado em papel de seda e produzido a partir de cera de abelha, óleo de rícino e sebo.

A cor disponível era o carmim e era bem popular entre os atores e atrizes. Naquela época o batom não fazia parte do dia a dia das mulheres; foi somente a partir de 1912 que colorir os lábios foi se tornando moda e o batom passou a ser comercializado em embalagens metálicas e cilíndricas. Quase 110 anos depois, o resultado é que as mulheres não vivem sem ele. E haja variedade! Que bom!

Dessa forma, o batom continua reinando absoluto. Simplesmente, não dá para ficar sem ele. E vamos combinar que é difícil resistir a tanta novidade que existe, não somente na cor, mas também na textura, no brilho, enfim, na composição do batom propriamente dito.

E mais, também tem o medo de escolher errado, de ficar “fora de moda”. Como administrar tudo isso?

É claro que sempre vale um toque de ousadia e é válido dizer que cada um pode usar o que quiser. Mas, tem que ser bem dosado e é preciso respeitar as particularidades de cada rosto, de cada tonalidade de pele e de cada lábio.

Existem algumas regrinhas que valem para todas as ocasiões.

Os tons rosados, marrons avermelhados, cobres, dourados e os “cor de boca”, também chamados de nude, ou pêssego combinam com qualquer pele.

Os batons cintilantes acentuam as rugas dos lábios. Os pigmentos se concentram nas fissuras, aquelas que passaram dos trinta anos devem evitar.

Mulheres com peles muito claras e batom escuro ficam com um visual dramático. Melhor é optar por um visual mais suave.

É bom evitar o uso de batom vermelho quando a roupa também é vermelha. A ordem é contrastar.

Se tem pequenas peles soltas nos lábios, é só fazer uma leve esfoliação usando gotas de hidratante e uma toalha felpuda. Passe-a de um lado para outro nos lábios que as casquinhas sairão com facilidade.

Os batons de longa duração não combinam bem com bocas muito secas porque o próprio batom provoca a sensação de lábios ressecados logo após sua aplicação.

Os lábios exigem cuidados especiais assim como a área dos olhos. Aos primeiros sinais de rugas nos lábios, adote um creme à base de ácido glicólico toda noite, antes de dormir. De manhã, aplique hidratante com filtro solar para evitar os efeitos da radiação do sol.

Outra regrinha de ouro é quando os olhos estiveram bem marcados com sombra e delineador, opte por batom clarinho, tipo “cor de boca”. Quando ocorrer o contrário, ou seja, a maquiagem nos olhos estiver bem natural, daí capriche escolhendo uma cor de batom bem vibrante.

Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Loading...