MENU

08/05/2021 às 18h06min - Atualizada em 08/05/2021 às 18h06min

Pacientes e profissionais de unidade da rede estadual de saúde recebem homenagem de Dia das Mães

SECAP
Dona Maria Cirlene Lobo de Abreu, 49 anos, foi uma das mães homenageadas (Foto: Rogério Sousa)

  
Com o objetivo de homenagear as mães que trabalham na linha de frente no combate à Covid-19 e as pacientes que estão internadas em tratamento contra a doença, o Hospital Dr. Carlos Macieira (HCM), equipamento da Secretaria de Estado da Saúde (SES), realizou uma ação em alusão ao Dia das Mães, comemorado neste domingo (9). Durante a ação, as mães, pacientes e profissionais de saúde receberam flores doadas pela Floricultura Luxo Natural e bombons, além disso, participaram de uma blitz espiritual ao som de louvores.

Dona Maria Cirlene Lobo de Abreu, 49 anos, foi uma das mães homenageadas. Ela é uma das pacientes atendidas na UTI Covid-19 da unidade e prestes a receber alta médica, a mãe do Marcos Vinicius, de 21 anos, conta que a batalha contra a Covid-19 foi difícil.

“Ficar longe da minha família foi um aperto muito grande, foram momentos muito difíceis e agora, sabendo que estou indo para casa, eu sinto uma emoção muito grande. Eu tenho a minha mãe de 74 anos, que durante todo esse tempo orou por mim e estou muito feliz por poder comemorar o Dia das Mães em casa com eles. Graças a Deus não estou mais sentindo nada e vou sair daqui totalmente recuperada”, declarou a paciente.

As profissionais de saúde que são mães e trabalham na unidade contam que ser mãe na pandemia tem sido um desafio ainda maior. “Foi muito difícil para todas, para mim em especial porque eu tive que ficar seis meses longe da minha filha. Como moramos só nós duas, por conta do risco da doença, ela teve que ir morar na casa do pai. Eu só via ela pela janela, mas toda vez que eu voltava para unidade eu me fortalecia, porque eu também tinha várias filhas aqui, pois eu via nos meus colaboradores e nos pacientes o rostinho da minha filha”, conta emocionada a gestora do Setor de Enfermagem da Ala Covid-19 do HCM, Andreia Oliveira.

Outra profissional que se emocionou, pois está comemorando o seu primeiro Dia das Mães neste domingo, foi a fisioterapeuta Nádia Fonseca dos Santos, de 48 anos. Ela conta que sua gestação durou cinco anos, o tempo que ela passou tentando adotar uma criança.

Nádia Fonseca dos Santos vai comemorar pela primeira vez o Dia das Mães (Foto: Rogério Sousa)

“O João Pedro chegou para mim no dia 10 de junho do ano passado, no meio da pandemia da Covid-19, com apenas cinco meses de idade. E esse período foi muito difícil. Ao chegar em casa, eu tomava três banhos para poder pegar meu filho. Além disso, utilizava máscaras o tempo todo, pois tinha muito medo dele contrair o vírus”, diz a fisioterapeuta.

Nádia complementa dizendo que hoje ainda toma todos os cuidados. “O João já está com um ano e quatro meses e eu estou muito feliz em poder passar o meu primeiro Dia das Mães com ele. E, no ano que vem, a família aumentará, pois estou na fila para a adoção de mais uma criança”, destaca a profissional.

A fonoaudióloga e responsável técnica do Núcleo de Educação Permanente do HCM, Ygleicy Moyses, explica que o objetivo da ação foi reconhecer e parabenizar as mães que saem todos os dias de suas casas para se dedicar à missão de cuidar das pessoas e salvar vidas. “Além disso, quisemos levar a palavra de Deus e uma mensagem de esperança para as mães que estão afastadas de seus filhos para se recuperarem de complicações da Covid-19”, afirma a fonoaudióloga.


Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Loading...