MENU

19/07/2022 às 10h25min - Atualizada em 20/07/2022 às 00h01min

Rizobacter oferece inoculante para soja com tratamento de semente de 10 dias antes do plantio ou pulverização

Rizospirillum é o único do mercado com aprovação do Ministério da Agricultura e Pecuária para tratamento de semente com antecedência do plantio

SALA DA NOTÍCIA CDI Comunicação - Assessoria de Imprensa

A Rizobacter, multinacional líder em microbiologia agrícola, oferece ao mercado sojicultor o inoculante Rizospirillum Pré-Inoculação, que contém Azospirillum brasilense, bactéria promotora de crescimento de planta. O destaque da inovação é a pré-inoculação de dez dias antes do plantio. Com o produto, o agricultor tem um período maior para tratar a semente e fazer o cultivo. 

O Rizospirillum Pré-Inoculação é o único do mercado com registro no Ministério da Agricultura e Pecuária (MAPA), que conta com tratamento de estabilização da semente em dez dias, além de aplicação foliar, nos estágios iniciais. Por ser biológico, antes da inovação lançada pela Rizobacter, o produtor tinha que tratar a semente e já fazer o plantio. Agora, pode ter mais tempo para fazer a aplicação e o cultivo com a mesma estabilidade da bactéria e resultado. 

“A solução vem ao encontro das necessidades do agricultor de produzir mais e, principalmente, de maneira sustentável. O biológico otimiza o fornecimento dos nutrientes do solo para a planta de maneira natural, além de otimizar o uso de fertilizantes. Assim, temos uma agricultura com menos emissão carbono, já que há redução dos químicos”, comenta Dáfila Fagotti, gerente de produto da linha de Inoculantes da Rizobacter. 

Dáfila destaca, ainda, o poder do produtor ao fazer a aplicação com a nova característica do inoculante. “Com o Rizospirillum Pré-Inoculação, o agricultor encontra diversas formas de aplicar a solução: da semente à folha. A coinoculação foliar também traz uma facilidade ao produtor que quer usar e não teve a oportunidade no tratamento da semente. Independente da maneira, a Rizobacter garante a estabilidade e o efeito de promoção do produto na planta”, explica. 

Estudos realizados no Paraná e no Mato Grosso do Sul apresentaram 39% a mais de nodulação, 30% a mais de Nitrogênio na folha e 13% a mais de produtividade. As bactérias da solução se instalam nas raízes das plantas e com a fixação biológica de Nitrogênio e da liberação de fitohormônios, promovem maior desenvolvimento da planta que possibilita o aumento da produtividade. 

Benefícios do inoculante 

Os inoculantes são produtos biológicos com bactérias específicas. Quando aplicados na semente ou na folha promovem o crescimento da planta. A inoculação adiciona um rendimento maior à cultura com baixo custo. Os microrganismos podem auxiliar no aumento da produção já que são reguladores de crescimento vegetal e atuam no acréscimo das raízes e biomassa e com absorção maior de nutrientes e água. 

A aplicação de inoculantes com Azospirillum brasilense em culturas como soja, milho e trigo, tem sido crescente e consistente no Brasil, pois contribuem com alta produtividade e, ao mesmo tempo, com a sustentabilidade. 

Coinoculação: aumentando o potencial do Rizospirillum Pré-Inoculação 
 
A coinoculação é uma tecnologia que tem se tornado referência na produção de soja brasileira. A prática é adicionar dois inoculantes, cada um com uma característica para o benefício da planta. A mais comum é a combinação de Azospirillum brasilense com o Bradyrhizobium (fixação biológica do nitrogênio). A junção proporciona diversos benefícios, como incremento da produtividade com a maior capacidade de absorção de nutrientes e águas pela raiz. 

“Outro destaque é o maior desenvolvimento da área radicular, otimizando o uso dos fertilizantes e favorecendo a planta em situações de estresse hídrico. Na soja, a combinação de inoculantes com Azospirillum brasilense e Bradyrhizobium podem gerar incrementos de até 20% na produção”, finaliza Dáfila. 


Notícias Relacionadas »
Comentários »