MENU

20/02/2022 às 10h35min - Atualizada em 20/02/2022 às 10h35min

Socorrinho define fluxo de atendimento à criança em situação de violência

Além de cuidados ambulatoriais, o paciente contará com apoio de uma equipe multiprofissional

Paula de Társsia - Secretaria de Saúde
Equipe técnica do hospital em reunião com o Promotor de Justiça, Thiago Oliveira - Foto: Assessoria

  
Para alinhar o fluxograma de atendimento às crianças em situação de violências, a Secretaria Municipal de Saúde, por meio do Hospital Infantil, se reuniu com a Promotoria de Justiça da Saúde nesta sexta-feira (17). Foram pontuados melhorias de atendimento e acolhimento desses pacientes.

O Hospital Municipal Infantil, o Socorrinho, é referência para uma macrorregião e atende em média 80 crianças por dia. Por isso, é necessário alinhamento deste fluxo para que os profissionais percebam sinais de violências, seja física, doméstica ou familiar e sexual, e atuem conforme estabelece as autoridades.

"É um atendimento que requer atenção bastante humanizada e um trabalho em rede, afinal quando falamos em crianças, falamos de um público que é o dever de todos proteger, assim como preconiza nosso ordenamento jurídico. Compreendemos que nós, também, fazemos parte dessa rede de proteção, enquanto administração pública, cidadãos, visto que o hospital pode ser a porta de entrada desses casos e o primeiro atendimento à criança em situação de violência", ressalta o secretário de Saúde.

No fluxograma, ficou definido o atendimento à criança por uma equipe multiprofissional, incluindo médico, psicólogo, assistente social e equipe de enfermagem. Já no atendimento hospitalar é realizado o tratamento profilático às infecções sexualmente transmissíveis, anticoncepção de emergência e exames laboratoriais, além de apoio psicológico e do serviço social. 

"Após o atendimento hospitalar, é realizada a comunicação externa ao Conselho Tutelar, Delegacia da Criança e Adolescente e Ministério Público. Ficou definido que o hospital também fará encaminhamentos para dar continuidade ao atendimento ambulatorial desses pacientes", destacou a diretora do Socorrinho, Rosilene Lima.

Participaram desse alinhamento, o promotor de Justiça, Thiago Oliveira, o médico pediatra, Pedro Rocha, a médica infectologista, Bianca Ferreira, a diretora do Socorrinho, Rosiliene Lima, e outros membros da equipe técnica do hospital.


Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »