MENU

23/09/2021 às 18h24min - Atualizada em 23/09/2021 às 18h24min

Projeto Rodas de Conversa beneficia 170 estudantes de Açailândia

Setembro Amarelo

Helena Barbosa
Asscom - CGJ
A juíza propôs um protocolo de atendimento de crianças e adolescentes pelo município. - Foto/Divulgação

  
Nesta quinta-feira (23) o Fórum de Açailândia sediou uma reunião para discussão do relatório informativo final da execução do Projeto "Rodas de Conversa: Valorização da vida e prevenção a automutilação", realizado em cinco escolas do Município de Açailândia, em alusão ao Mês “Setembro Amarelo” – preventivo ao suicídio. 

Participaram da reunião a juíza titular da 2ª Vara da Família, Clécia P. Monteiro; o comissário de Justiça Diogo Magalhães; a psicóloga Eline Souto (psicóloga) e a assistente social Monice Diniz Freitas; conselheiros tutelares, advogada Gabriela Nunes (Secretaria de Assistência Social); secretário Municipal de Saúde, Linderval Moura; secretária de educação, Karla Nascimento; presidente do Conselho Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente, Angela Lima; assessora da promotoria de Justiça Aline Dantas, além de técnicos da Secretaria de Educação, Saúde e Assistência Social.

Ao final da reunião de avaliação das ações do projeto, a juíza propôs a edição de um protocolo/fluxograma, pelo município, para atendimento eficiente e eficaz de crianças e adolescentes que estejam precisando de apoio em relação à saúde mental com o objetivo de se buscar a proteção integral daqueles conforme preconiza o ECA e a Constituição Federal. O documento deverá ser entregue até o dia 27 de outubro.

RODAS DE CONVERSA

O projeto abordou 170 alunos e teve como metodologia a escuta qualificada, dinâmicas de grupo, depoimentos, aplicação de questionário e discussão de alguns casos com os gestores das escolas. As atividades foram desenvolvidas por meio de rodas de conversa de 1h30min de duração, com média de 15 alunos cada. 

As ações do projeto foram desenvolvidas entre os dias 23 a 27 de agosto deste ano e de 13 a 16 de setembro, nos turnos matutino e vespertino, em diversas datas, nas unidades de ensino: Escola Municipal Aulídia Gonçalves dos Santos; Escola Municipal Sara Kubitschek; Escola Municipal Tânia Leite Santos; Escola Municipal Fernando Rodrigues de Sousa; Escola Municipal Crislaine Gonçalves de Morais.

A metodologia foi adotada pela equipe psicossocial na perspectiva de incluir e motivar os alunos presentes, a fim de que todos pudessem se sentir seguros e confortáveis para falar. Ao final, houve sorteio de brindes em todas as escolas do projeto, com 48 ingressos para o cinema. Conforme pesquisa aplicada entre os estudantes, no universo de 170 alunos, 48% deles afirmaram que já praticaram ou praticam a automutilação e em 17% dos casos, havia intenção de tirar a própria vida.
 


Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Loading...