Presidente da ACII, Hélio Rodrigues Araújo; e Flávio Moura Fé Lima, presidente do Conselho de Monitoramento de Incêndio: anfitriões receberam integrantes do órgão no Palácio do Comércio e Indústria

Raimundo Primeiro

A reunião inaugural do Conselho Estadual de Monitoramento de Incêndio (CEMI) aconteceu na manhã dessa sexta-feira, 11, na Sala de Reuniões do Palácio do Comércio e Indústria de Imperatriz (PCI), situado na Rua Bom Futuro, 455, Centro.
O encontro foi organizado pela Associação Comercial e Industrial de Imperatriz (ACII) e pela Ordem dos Advogados do Brasil no Maranhão (OAB-MA), com a presença de representantes dos organismos convidados, instituições públicas e privadas, tendo sido iniciado às 9h e encerrado por volta das 11h30.
O CEMI é formado por entidades públicas e privadas, visando o compartilhamento de informações que garantam maior efetividade do trabalho de monitoramento de focos de incêndios, além da integração das ações de educação ambiental, tornando-as mais abrangentes e eficientes.
ACII – A O PROGRESSO, o presidente da ACII, Hélio Rodrigues Araújo, ressaltou a relevância do trabalho que o CEMI terá de desenvolver, principalmente por meio de campanhas educativas, buscando a conscientização ambiental da população, notadamente dos agricultores, que realizam queimadas para preparo do solo antes do plantio.
Lembrou do histórico sobre as queimadas em Imperatriz e região. Muitos aviões não pousaram no Aeroporto Guilherme Cortez durante o período das queimadas. Adultos e crianças são internados nos hospitais da cidade e municípios vizinhos em virtude de problemas respiratórios. “Articuladas, as ações, terão êxito”, disse o presidente da ACII. Pontuais, como vinham acontecendo, as iniciativas não obtinham os resultados esperados.
O advogado Flávio Moura Fé Lima, presidente da Comissão de Agronegócio da Ordem dos Advogados do Brasil no Maranhão (OAB-MA), informou com exclusividade à reportagem de O PROGRESSO, após o encontro, que a ideia de criação do CEMI surgiu diante da experiência que ele possui sobre informações relacionadas a focos de incêndios e, por outro lado, das dificuldades para implementação de educação ambiental em âmbito do território maranhense.
Resultados – Para o procurador da República, Henrique de Sá Valadão Lopes, os resultados da primeira reunião do CEMI foram considerados proveitosos. Segundo ele, o passo inicial a ser dado pelo órgão é no sentido de tomar conhecimento da realidade sobre as queimadas no Maranhão. “A gente precisa fazer um diagnóstico preciso no que diz respeito aos incêndios, visando o sucesso das ações”, acrescentando que “a reunião foi melhor do que eu esperava”.
Ao assinalar como fundamentais os assuntos colocados em pauta durante a primeira reunião do CEMI, capitaneada pela Associação Comercial e Industrial de Imperatriz e Ordem dos Advogados do Brasil no Maranhão, o presidente do órgão, Flávio Moura Fé Lima, observou que todos os entes envolvidos estão preocupados com o tema focos de queimadas no Estado.
“Embora tenha tido ausências justificadas de empresas e instituições, os resultados foram positivos, com encaminhamentos para que as ações deste Conselho [CEMI], tenham efetiva aplicação entre a comunidade e o meio ambiente”, ponderou Flávio Moura.
Participação – Além do presidente da Associação Comercial e Industrial de Imperatriz, Hélio Rodrigues Araújo; secretária de Meio e Recursos Hídricos de Imperatriz (SEMMARH), Rosa Arruda Coelho, estiveram presentes na reunião representantes da Polícia Militar do Maranhão (PM-MA), Corpo de Bombeiro (CB), Superintendência Municipal de Proteção e Defesa Civil, Ministério Público Federal, Comissão do Agronegócio da Ordem dos Advogados do Brasil no Maranhão (OAB-MA), Exército Brasileiro (EB) e Suzano Papel e Celulose.
Agenda – A próxima reunião do CEMI será realizada em 29 de agosto, terça-feira, às 9h, no 50º Batalhão de Infantaria de Selva (50º BIS), localizado na Avenida Bernardo Sayão, no bairro Nova Imperatriz.