MENU

07/06/2021 às 19h47min - Atualizada em 07/06/2021 às 19h47min

Saiba como funciona a chamada “xepa da vacina”

Doses que não podem ser reaproveitadas no dia seguinte podem ser usadas em quem, teoricamente, ainda não estaria apto para receber a vacina. Regras variam conforme a cidade.

Tony Ribeiro - Estagiário da Rádio Nacional
Agência Brasil - São Paulo
Veja o que acontece com doses não podem ser usadas no dia seguinte - Foto: Marcelo Camargo-Agência Brasil

  
Você já ouviu falar em xepa da vacina? São as doses que sobram dos frascos e que não podem ser aproveitadas no dia seguinte por causa do prazo de validade. Como não podem ser desperdiçadas, são aplicadas em pessoas que moram próximas às unidades de saúde, perto do horário do encerramento diário da vacinação. Cada imunizante tem um tempo determinado de validade após a abertura dos vidros. A da Pfizer pode ser conservada por até seis horas, a CoronaVac por até oito e a da Oxford/AstraZeneza, por 48 horas.

O Ministério da Saúde recomenda que, ao final do expediente dos postos de vacinação, as doses sejam disponibilizadas às pessoas dos grupos prioritários. É o caso da bancária Ellayne Azevedo, de Belo Horizonte. Com comorbidade, ela chegou ao posto quando o horário de distribuição das senhas já tinha encerrado. “Foi quando ela falou: você pode até esperar, [mas]não é garantido que você seja vacinada. Agora, se porventura sobrar dose, aí você é a próxima da fila”, relata. Ellayne decidiu esperar e conseguiu receber a primeira dose.

Segundo a Secretaria Municipal de Saúde de São Paulo são aplicadas, só na capital paulista são aplicadas, por dia, cerca de duas mil doses remanescentes. Segundo o órgão, para saber como funciona a xepa da vacina em sua cidade, é só procurar a secretaria de saúde local.

*com supervisão de Leila Santos


Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Loading...