Condutor da caminhonete foi preso e autuado por homicídio culposo

O acidente aconteceu no fim da noite dessa quarta-feira (8), por volta de 23h30, no bairro Nova Imperatriz, com o envolvimento de uma caminhonete e uma motocicleta.

Segundo informações de policiais do 3º BPM que atenderam à ocorrência, o condutor de uma S-10, Warlei Alves do Nascimento, de 34 anos, avançou a preferencial e provocou a morte do advogado Gildenor Santos Lima, 59 anos.
Warlei Nascimento trafegava pela Rua Brasil, enquanto a motocicleta, que era conduzida pelo genro da vítima, trafegava pela rua Sousa Lima, a preferencial. O choque foi violento e o condutor da moto foi jogado na calçada, enquanto o advogado ainda foi arrastado pela caminhonete. Foi tentada uma reanimação, mas ele faleceu antes de ser socorrido pelo Serviço de Atendimento Móvel de Urgência - SAMU. O piloto da moto ficou com ferimentos leves. Gildenor estava retornando para casa.
Apesar de negar que tenha ingerido bebida alcoólica, o condutor da caminhonete estava visivelmente embriagado quando foi apresentado, ainda na noite de quarta-feira (8), no Plantão Central da Polícia Civil. As informações são do delegado regional, Eduardo Galvão.
“Em depoimento, ele negou a ingestão de bebida alcoólica. Mas no momento do interrogatório estava visivelmente embriagado, de acordo com relato dos policiais que atenderam à ocorrência”, ressaltou o delegado, acrescentado que antes de provocar o acidente fatal, uma testemunha ocular por pouco não foi atropelada pelo empresário.
Depois de colidir com a motocicleta, Warlei Alves fugiu do local do acidente homiziando-se numa casa, por medo de sofrer um linchamento. Porém, acabou sendo localizado e preso logo em seguida. Em seu carro, foram encontradas várias latas de cerveja e outras bebidas alcoólicas. O suspeito ainda se negou a fazer o teste do etilômetro, mas no IML acabou assumindo a ingestão de bebida alcoólica durante a tarde. O homem estava na companhia de duas mulheres na hora em que provocou o acidente.
Warlei Nascimento foi autuado por homicídio culposo qualificado, tipificado no artigo 302 da Lei 9503/97. De acordo com as alterações que foram feitas, a pena é de cinco a oito anos em regime fechado e a suspensão do direito de conduzir veículos.
No final da tarde Warlei Nascimento foi solto em audiência de custódia para responder em liberdade. Ele teve a carteira de habilitação suspensa por seis meses.