Comando tucano

Os tucanos reúnem-se dia 9 de dezembro em Brasília, unificados em torno do nome do governador de São Paulo e virtual candidato à Presidência da República, Geraldo Alckmin, para dirigir a Executiva Nacional. Atualmente, o partido é comandado por Alberto Goldman, devido a destituição do senador Tasso Jereissati da presidência. O Maranhão é o único estado do Brasil onde não ocorreu a renovação do comando estadual do PSDB. Tudo por conta da intervenção. A situação no Maranhão será resolvida a partir da segunda quinzena de dezembro, quando será nomeada a Comissão Provisória que será comandada pelo senador Roberto Rocha e o ex-prefeito Sebastião Madeira. Rocha é o nome indicado do partido para a disputa pelo governo em 2018. Com a candidatura própria, o PSDB deixa de integrar o arco de aliança liderado em 2014 pelo PCdoB do governador Flávio Dino, em que o partido indicou o vice-governador, Carlos Brandão. A chapa iria ser repetida no próximo ano, caso a legenda tucana permanecesse coligada com a sigla comunista.

Repercussão

Ainda repercutindo nos meios políticos o episódio da derrubada do veto do prefeito Assis Ramos ao projeto de lei sobre a abertura dos portões das escolas meia hora antes do início das aulas. Vereadores da própria Situação votaram contra o veto porque não  gostaram da inesperada visita do prefeito ao plenário, exatamente no momento em que a matéria era discutida. Entenderam como uma “pressão”. Na verdade, se Assis Ramos tivesse solicitado à presidência da Casa para usar a tribuna e justificar o veto, possivelmente a sua presença não teria provocado a situação que acabou gerando a derrubada do veto. Mas apenas cumprimentou os vereadores e se retirou.

E...

Também está repercutindo negativamente sobre os vereadores aliados que votaram contra o veto do prefeito. Ontem, o vereador Chiquim da Diferro afirmou em voz alta que “a base é fuleira”. Estavam presentes Paulinho Lobão e Bebé Taxista, que se posicionam como integrantes do bloco governista. Realmente, Assis Ramos não tem uma base sólida. Não é a primeira vez que vereadores aliados votam contra os interesses do prefeito. O que está havendo? Falta de articulação ou mesmo de fidelidade?

Será?

Nos corredores da Câmara dizem que gente ligada a vereador já teria sido “engolida pelo jacaré”, depois da votação do veto.

Agenda

O senador Roberto Rocha (PSDB) teve uma agenda movimentada  em Imperatriz, no final de semana. No sábado comandou a VI edição do seminário “Revitalização dos Rios e das Nascentes Maranhenses” e almoçou com empresários. No domingo, acompanhado do ex-prefeito Madeira esteve na Vila Lobão, onde conheceu a Rita do Cuscuz, dona do mais movimentado café da manhã popular daquela região. Depois esteve no Mercadinho conversando com feirantes. Lá anunciou que a cidade ganhará uma Ceasa. O terreno já foi garantido e os recursos, segundo ele, já estão assegurados. A obra será executada pela Prefeitura. O senador também esteve na Banca do Chico e encerrou a jornada num almoço oferecido pelo presidente do Iate Clube, Leonildo Alves.

Recuada

A odontóloga Rosângela Curado ainda não veio a Imperatriz depois que foi colocada em liberdade, na semana passada. Ela foi presa no dia 16 pela Operação Pegadores (5ª fase da Sermão aos Peixes), suspeita de envolvimento em irregularidades na saúde. A expectativa é quanto à decisão que Rosângela tomará. Se manterá ou não a sua pré-candidatura ao mandato de deputada estadual.  Juridicamente, não teria problema, porque não há condenação. Há a questão político-eleitoral, já que um episódio como esse provoca desgastes.