Recuo

Há uma semana estava definido que o vereador João Francisco Silva (PRB) se afastaria da Câmara, com licença de 120 dias. Inclusive na sessão da última quarta-feira ele fez um discurso emocionado, se despedindo dos colegas e até pedindo desculpas pelos excessos com os colegas. A posse do suplente, Fidélis Uchoa (PRB), seria na manhã de ontem. Mas veio a surpresa. Silva não vai mais se licenciar, o que não é nenhuma surpresa, porque o vereador é complicado. E o motivo? Uma fonte bem situada na Câmara revela que ele desistiu porque exigiu, e não foi atendido, que a Secretaria de Planejamento e Urbanismo fosse entregue ao seu filho Kleiton Silva “limpa”, ou seja, sem os servidores colocados pelo atual secretário, Fidélis Uchoa. Pode até não ser verdade, mas essa questão há dias já vinha sendo comentada nos corredores do Palácio Dorgival Pinheiro de Souza.

E...

O vereador não iria pedir afastamento por questão de saúde? Pela sua desistência, vê-se que se tratava mesmo apenas de uma jogada para emplacar o seu filho na secretaria. Errou na conclusão para o gol. Bola fora.

Água

Somente com a grave situação do rio Tocantins é que começaram as preocupações com a crise hídrica. Se tivessem se preocupado antes, providências já estariam sendo tomadas. Mas, embora tarde, foi válida a mesa redonda realizada ontem em Imperatriz, com as presenças de representantes da Agência Nacional de Águas (ANA), políticos, ambientalistas e outros interessados. Tá feia a situação, não apenas do outrora caudaloso Tocantins.

Também

Durante o evento, a deputada estadual Valéria Macedo apontou as hidrelétricas como responsáveis pela situação do rio Tocantins. Não são apenas elas. Os rios são alimentados pelos afluentes, os riachos, que estão se acabando devido a desmatamento e outras situações. Aliado a isso há escassez de chuvas. Mas se deve reconhecer que as hidrelétricas também contribuem para o problema. Antes, o nível do rio não baixava tanto.

É brincadeira!

Os hipócritas, demagogos, continuam com o discurso de “tomar” dos ricos, defendendo invasões de propriedades urbanas e rurais. Mande invadir o terreno de algum deles, pra ver a reação...

Preconceito

O senador Roberto Rocha reagiu duramente em defesa do deputado federal André Fufuca, presidente interino da Câmara. Do plenário, manifestou solidariedade ao parlamentar maranhense devido às piadas por causa do apelido. Ele destacou as ações do jovem deputado e classificou como preconceituosas as manifestações no sentido de desqualificá-lo. A Rede Globo, além de se preocupar com o apelido de Fufuca, ainda questionou a sua competência devido à idade (28 anos) e destacou até o fato dele ser um médico sem especialização, como se estivesse no Congresso Nacional para consultar. Até parece que estão tratando coisas sérias com molecagem.