MENU

22/11/2022 às 13h09min - Atualizada em 23/11/2022 às 00h02min

Casa Poéticas Negras inaugura novo espaço na FLIP com lançamento de mais de 300 publicações de escritores negros

Programação gratuita traz para o festival 13 editoras independentes dedicadas à literatura e às artes afro-brasileiras, diaspóricas e indígenas

SALA DA NOTÍCIA
Thamiris Galhardo
Divulgação/ Casa Poéticas Negras
A Casa Poéticas Negras estreia um novo espaço na FLIP 2022, no centro histórico de Paraty, para o lançamento de mais de 300 obras de autores consagrados como Conceição Evaristo, Esmeralda Ribeiro, Lia Vieira e Silvio Humberto, entre outros. Durante todo o festival, a CPN, que esse ano apresenta a temática: “Aquilombar-se. Ato ou efeito”, estará com um espaço de vendas de livros de 13 editoras independentes com o objetivo de resgatar, valorizar e promover diversos formatos de manifestações artísticas literárias.

Entre os destaques da programação literária está o encontro inédito entre a escritora cubana Teresa Cárdenas e a brasileira Esmeralda Ribeiro para debater o tema:  "Escritos de mulheres negras: lutas e afetos que ultrapassam seus territórios".

Haverá também espaço especial para falar sobre intolerância religiosa com as especialistas no tema Claudia Alexandre e Mãe Flávia Pinto, além de lançamentos que abordam temas variados como educação decolonial, poesia, afrofuturismo, direitos das mulheres, presença indígena, racismo ambiental e a pandemia da Covid-19.

Outro destaque desta edição são as obras especializadas em realismo fantástico, que também estarão disponíveis em HD como "Omi Ipalolo - Águas Silenciosas" e "Almanaque Kiembro 2k22", de Will Braga. 

Segundo a idealizadora e presidente da Casa Poéticas Negras, Ângela Damasceno, a expectativa para este ano é ter um espaço de maior protagonismo negro valorizando o trabalho de profissionais negros que escrevem, publicam e participam ativamente na cadeia editorial do país. “É de extrema importância e relevância estarmos presentes em um dos principais eventos literários da América do Sul ovacionando e reverberando a literatura afro-brasileira, indígena e da diáspora, principalmente no mês da consciência negra”, disse Ângela Damasceno.

O novo espaço da Casa Poéticas Negras vai promover também apresentações culturais toda noite durante o festival; uma das atrações será a do Coral Guarani da Aldeia Araponga, de Paraty. O coral irá se apresentar no primeiro dia da FLIP, às 20h. 

Participam desta edição da FLIP na Casa Poéticas Negras as editoras Aziza, Feminas, Pallas, Mostarda, Kitembo, Miolo Mole, Oriki, Aruanda, Nua, Ananse, Câmara Periférica do livro, Nandyalla e Afrodinamics.

O evento é gratuito e acontece das 10h às 22h, todos os dias. Para ter acesso à programação, acesse o perfil oficial no Instagram: https://instagram.com/casapoeticasnegras?igshid=N2ZiY2E3YmU=

Serviço:
Casa Poéticas Negras na Flip 2022
Tema: “Aquilombar-se. Ato ou efeito”
*De 23 a 27 de novembro de 2022, das 10h às 22h
Centro histórico. Paraty. Rio de Janeiro

Notícias Relacionadas »
Comentários »