Clemente Viegas

Clemente Viegas

caminhos por onde andei

LÁGRIMAS, GRATIDÃO E A SAUDADE

Já disse aqui que escrevo e envio um texto, denominado PÁGINA DE SAUDADE assíduo e pontual há mais de dez anos para a Rádio Mirante/AM, programa Clube da Saudade, manhãs de domingo, na apresentação e interpretação  impecáveis do  barítono e tenor JOSÉ SANTOS. Esta é mais uma PÁGINA DE SAUDADE.

*************

Esta é coisa do túnel do tempo. Ano de 1962. Faz 56 anos!!!

Havia em São Luís e mares a fora, em tempos de jogos da COPA DO MUNDO, a prática de um “jogo ...

leia mais +

caminhos por onde andei

A LENDA VIVA  DO POÇO DO VIRÔ, NA MINHA TERRA!

A palavra de Deus nos livros de João e Gênesis nos remete ao lendário “poço de Jacó”, onde Jesus encontrou-se com uma Samaritana e pediu-lhe água de beber. Esse poço,  vem da era de Cristo; poço que serviu aos peregrinos que por ali passavam, bem como aos rebanhos que ali bebiam e está construído sobre uma rocha. Situa-se nos arredores do sítio arqueológico de Tell Balata, a Siquém bíblica, na cidade de Nablus, na Cisjordânia e tem atravessado milênios. Esta breve anotação é para situar um ...

leia mais +

caminhos por onde andei

DIA DE VELÓRIO

Na minha terra, na Baixada do Maranhão, um antigo chão de analfabetos, calejados e sofredores de sol a sol, roceiros do começo ao fim da vida, qual num fim de mundo, ali era doído em tudo. Na hora da morte, aí então!... Aliás que falando isso, lembro-me que, ao meu modo, retratei com fidelidade um tema denominado “VIDA E MORTE, OZEBINHA”, onde narrei a via crucis – dos dois filhos de D. OZEBINHA, uma antiga vizinha. Da morte ao sepultamento.

Pois bem, na minha terra era assim: Quando morria alguém - ...

leia mais +

caminhos por onde andei

UM TESTE PARA LOCUTOR

Abre parêntese: Desde moleque, lá pelos treze, catorze anos, que tenho uma paixão pelo rádio. E sempre quis porque quis ser LOCUTOR. Anos 60 e mais adiante (ao que conheci), o RÁDIO AM vivia o seu período áureo, na capital. E eu “encasquetedo”, vivia pelos corredores de emissoras/AM. Conhecia locutores, diretores, sabia dos programas - uns que acompanhava e no geral, punha-me como observador. E assim delirei evasivo por tanto tempo. E só aos quarenta anos, alcancei esse objetivo na Rádio Imperatriz, onde fiquei por mais de doze anos. Além de outras ...

leia mais +

caminhos por onde andei

CEMITÉRIO

Minha mulher dedicou os últimos cinco anos aos cuidados e à vida de sua mãe, sendo que, nos dois últimos, a sogra ficou entre a cama e a cadeira de rodas, parte maior do tempo na cama, o que redobrou o desvelo da filha, vinte e quatro horas por dia, sem arredar o pé. Enfrentando esses e outros percalços em sua saúde, quando a mãe faleceu, a filha foi tomada de dores e lágrimas como se sua mãe tivesse falecido de mal súbito, tal o envolvimento e o sentimento da filha.  Acompanhei essa trajetória.

leia mais +

caminhos por onde andei

O OLHAR DO PÁSSARO SOBRE O GALHO
(... uma Constituição Federal, pela “janta”)

Sete da noite. No posto de combustíveis à beira da BR o movimento é intenso. Caminhões, carretas, bitrens, automóveis, gente. Motoristas, prostitutas, mecânicos,  biscateiros, transeuntes. Uma “zueira” danada. Tem-se a sensação de um ambiente “barra pesada”. Mas não. E eu ali – o olhar do pássaro sobre o galho, questionando o social. Sou ali um passageiro do acaso.

Tem uma cachorra de mediana idade, já vi por lá outras vezes, porém ainda não havia feito a leitura. É desses animais ...

leia mais +

caminhos por onde andei

CARTA AO DR. RAIMUNDO LICIANO DE CARVALHO – EX-JUIZ  EM IMPERATRIZ

Dr. LICIANO – peço que me receba (como sempre me recebeu). No plano da eternidade, onde estiver. Tomei conhecimento de sua “passagem”, através do Joãozinho, que foi seu Secretário de Audiência e pessoa de sua confiança. Foi um impacto! Precisei me restabelecer! Embora soubesse na distância, faz tempo, do seu delicado estado de saúde. 

Em meados de dezembro/2010, faz sete anos e 5 meses, tive um sonho com você. Um pesadelo que publiquei nesta coluna, conforme o texto abaixo. Em seguida, por um ...

leia mais +

caminhos por onde andei

A LENDA DO BOTO: SALVADOR E MATADOR

JERÔNIMO DE JOANA era um legítimo afrodescendente. Filho de “Joana de Gi”, neto de Gil de Campos e “mãe Carolina”, esta que apregoava com sua voz e sotaque afetados que ainda pegou “uma pontinha da escravatura”. Também bisneto da velha Processa, que foi escrava de sol a sol. Viviam todos numa pequena comunidade de uns quatro ou cinco casebres, nas terras que, demarcadas e vendidas pelo Estado, vieram a pertencer ao latifundiário Mundico do Sertão, que enlaçou os velhos e antigos quilombolas, sem dó nem piedade, a ponto de impedi-los ...

leia mais +

Clemente Viegas

Viegas, Clemente Barros. (São Clemente papa e mártir). CLEMENTE vem do Almanaque de Bristol, antiga publicação do laboratório farmacêutico. Estudou as primeiras letras na escola da palmatória e dos joelhos ao chão, no sertão. Concluiu o curso primário (na terra natal), no tempo em que a escolaridade era levada a sério. Foi menino de recado e de mandado. Nos cursos Secundário e Técnico no internato da Escola Federal, onde ingressou via do “Exame de Admissão”. Cursou Direito, num tempo em que não havia celular, nem internet, nem FIES, nem as vantagens atuais. Não tinha livros, escrevia em papéis avulsos, taquigrafava as aulas ao verbo dos professores. Morou em casas de estudantes e cortiço, andava a pé, driblou o bonde, poucas roupas, curtiu a “Zona” e jamais dirá que “comeu o pão que o diabo amassou”. Trabalha desde os cinco anos, com intervalo dos onze aos vinte anos. Está na casa dos 73. Não brincou quando criança ou adolescente e na vida adulta tem três brinquedos que os leva a sério: 1 - Escreve a coluna CAMINHOS POR ONDE ANDEI; 2 - Escreve a crônica PÁGINA DE SAUDADE, Rádio Mirante/AM, domingos, há mais de dez anos; 3 - Tem uma “rádio”, com antena de 300 mm de altura, 1.000 a 1500 mm de alcance, com dois ou três ouvintes que, como você vê, “um que pode ser você”. É o rastro e a sombra de si mesmo. É o filho que veio e os pais que se foram. Superou milhares de concorrentes para nascer. É mais um na multidão e considera-se a escrita certa por linhas tortas, na criação do CRIADOR. Cumprimenta os seus interlocutores com votos de “saúde”! E diz aos semelhantes todos os dias que “...a vida continua”. (•) Viegas questiona o social. e-mail: viegas.adv@ig.com.br