Clemente Viegas

Clemente Viegas

caminhos por onde andei

...ERA FRANÇA APRENDENDO A FAZER COFO!

França era o filho último do velho Norato Barros. Norato era morador do povoado Laranjal e dono de parte das terras que herdou do seu pai Fabinho de Barros. Norato e seu irmão DOCA BARROS eram titulares de uma fala de forte sotaque afetado; sotaque que até hoje os netos e outros parentes arremedam, caçoam, tal o sotaque carregado de Norato e seu irmão Doca. Não eram de festa, nem de pinga, nem de jogo, nem de dança. Eram amigos e unidos e roceiros de sol a sol. Doca era ...

leia mais +

caminhos por onde andei

    ... E A VIDA CONTINUA                   
Eu ainda era um colegial, 13, 14 anos, quando ouvi em aulas de GEOGRAFIA, pela primeira vez, a palavra SATÉLITE. A lição então ensinava que “SATÉLITES são corpos espaciais menores que acompanham maiores”. Como exemplo a Lua é um satélite da terra. Vênus, Marte, Júpiter são outros satélites. Permiti-me, mais tarde, abstrair dessa lição que nós, enquanto crianças, somos SATÉLITES dos nosso pais, como enfim as crias e os animais.

Havia, nesse tempo colegial, um inocente e concorrido brinquedo da juventude -  adultos ...

leia mais +

caminhos por onde andei

A GENTE ERA FELIZ E NÃO SABIA
(NUM TEMPO DE RADIOLA E DISCOS DE VINIL)

Escrevo, já disse aqui, um texto semanal, cativo, faz onze anos, denominado PÁGINA DE SAUDADE, para o programa CLUBE DA SAUDADE, há TRINTA ANOS no ar, Mirante/AM – São Luís, em cadeia com mais de 20 emissoras em todo o Estado. Manhãs de domingo, 08:00 hs. O tema em foco em mais um deles.

A vida me ensina que “tudo na vida é um tempo. Só um tempo”. E nessa onda eu pego embalo e vejo UM velho tempo ...

leia mais +

caminhos por onde andei

HOJE É ANIVERSÁRIO DA MINHA ESCOLA. HOJE TEM FESTA NA “ESCOLA”.

Hoje é 23 de setembro. Uma data inesquecível. Hoje é aniversário da minha antiga Escola Técnica Federal, do Monte Castelo. Nascida em 1.910 com o nome de Escola de Aprendizes Artífices, agora é IFMA. Então lá se vão 108 anos de lutas, vitórias, conquistas. Tenho a honra e a gratidão de ter vivido lá dentro por oito anos!

A MINHA QUERIDA Escola Técnica Federal tinha um codinome popular: Por vezes “Escola Técnica”; por vezes “ESCOLA”. A “Escola” do meu tempo (e como sempre) ...

leia mais +

caminhos por onde andei

OS MORADORES DE DENTRO DO MATO

Final dos anos cinquenta. Período em que ocorrem os fatos. Baixada do Maranhão, “onde o vento faz a curva”. Mas que nunca se diga que lá “o diabo perdeu as botas”, pois que ali, chão dos meus ancestrais, ficou enterrado o meu umbigo, em meio àqueles matagais da pobreza e roças em capoeirão. Chão da minha eterna paixão; das minhas leituras e releituras, aspirações e agora inspirações, para onde tenho voltado em 56 viagens, ao longo de 12 anos; onde construo “MEMORIAIS”, dentro do mato para avivar a memória dos meus ...

leia mais +

caminhos por onde andei

...FALTOU UM “HOROSPISTA” AO PT
Jurivê de Macedo, o mais laureado e precursor do jornalismo local, em seus tópicos bem humorados em sua coluna COMENTANDO OS FATOS, ao que posso lembrar, foi o criador do novo verbete “HOROSCOPISTA”. Referia-se ao/s fazedores do HORÓSCOPO, uma simbiose  em cruzamento entre as posições dos astros espaciais, com ingerência na vida dos humanos, consoante a regência do SIGNO, este subordinado ao período do ano.  Daí  a figura do ASTRÓLOGO, o fazedor do horóscopo. Enfim o “HOROSCOPISTA”.

HORÓSCOPO, com suposto poder de predição do presente e do futuro da vida das ...

leia mais +

caminhos por onde andei

... NOITE DE AUTÓGRAFO, DE RUI MIRANDA

Por vezes eu me ponho a cismar que por trás de rostos e semblantes, ainda que velhos conhecidos e outros que dantes nunca visto – quem sabe – esconde-se ali um talento; senhor ou senhoras de todas as virtudes. E outros ou outras – quem sabe – escondem as mais inimaginárias personalidades e personagens que a nossa vã imaginação jamais será capaz de imaginar. É como diz a canção: “...ninguém, conhece ninguém...” E de divagações essas lembro-me que certa feita ouvi uma frase de advertência, que dizia: “a senhora ...

leia mais +

caminhos por onde andei

“LENDAS RURAIS”
Acabo de chegar da minha terra natal, na Baixada do Maranhão. Viagem nº 55 em 12 anos. Estive por ali para cuidar da manutenção (capina, limpeza) dos sítios florestais que ali trabalho: um deles para homenagear a memória dos meus pais e um outro e mais adiante, para preservar a memória do meu avô. Sempre que estou por ali provoco as pessoas sobre as tais “VISAGENS” que por ali sempre diziam existir, todas relacionadas com “dinheiro enterrado”. Eu que morria de medo dessas estórias e daqueles lugares “visagentos”, até hoje fico com “um pé na ...

leia mais +

Clemente Viegas

Viegas, Clemente Barros. (São Clemente papa e mártir). CLEMENTE vem do Almanaque de Bristol, antiga publicação do laboratório farmacêutico. Estudou as primeiras letras na escola da palmatória e dos joelhos ao chão, no sertão. Concluiu o curso primário (na terra natal), no tempo em que a escolaridade era levada a sério. Foi menino de recado e de mandado. Nos cursos Secundário e Técnico no internato da Escola Federal, onde ingressou via do “Exame de Admissão”. Cursou Direito, num tempo em que não havia celular, nem internet, nem FIES, nem as vantagens atuais. Não tinha livros, escrevia em papéis avulsos, taquigrafava as aulas ao verbo dos professores. Morou em casas de estudantes e cortiço, andava a pé, driblou o bonde, poucas roupas, curtiu a “Zona” e jamais dirá que “comeu o pão que o diabo amassou”. Trabalha desde os cinco anos, com intervalo dos onze aos vinte anos. Está na casa dos 73. Não brincou quando criança ou adolescente e na vida adulta tem três brinquedos que os leva a sério: 1 - Escreve a coluna CAMINHOS POR ONDE ANDEI; 2 - Escreve a crônica PÁGINA DE SAUDADE, Rádio Mirante/AM, domingos, há mais de dez anos; 3 - Tem uma “rádio”, com antena de 300 mm de altura, 1.000 a 1500 mm de alcance, com dois ou três ouvintes que, como você vê, “um que pode ser você”. É o rastro e a sombra de si mesmo. É o filho que veio e os pais que se foram. Superou milhares de concorrentes para nascer. É mais um na multidão e considera-se a escrita certa por linhas tortas, na criação do CRIADOR. Cumprimenta os seus interlocutores com votos de “saúde”! E diz aos semelhantes todos os dias que “...a vida continua”. (•) Viegas questiona o social. e-mail: viegas.adv@ig.com.br