Aprovado 

O que houve para, de uma hora para outra, os vereadores aprovarem o Orçamento 2020 do Executivo, depois de um bom tempo procrastinando? Ontem, foi votado e aprovado por unanimidade. Os vereadores de oposição, liderados pelo presidente da Casa, vinham colocando obstáculos e na sessão desta terça-feira finalmente resolveram votar o Orçamento. Sem isso, o Executivo iria ter problemas para realizar as suas ações. Na verdade, além do jogo político por conta das eleições de 4 de outubro, havia a questão das emendas impositivas (instrumento pelo qual os vereadores podem apresentar emendas à Lei Orçamentária Anual (LOA) destinando recursos do Município para determinadas obras, projetos ou instituições. O valor das emendas é retirado de uma porcentagem do Orçamento e deve ser dividido igualmente entre os vereadores).

Licença

O vereador Alberto Souza anunciou ontem que sairá de licença por três meses. Assumirá a sua cadeira o apresentador de tv Josevan Marques, primeiro suplente da coligação PDT/DEM/PSL. Ele obteve 1.559 votos. O afastamento seria para tratamento de saúde. 

Rachando 

O grupo do governador Flávio Dino deve ir dividido para as eleições municipais de 4 de outubro. O PCdoB já decidiu que o candidato será o deputado federal Rubens Jr, atualmente secretário de Estado das Cidades. Com isso, o deputado estadual Duarte Júnior, também pré-candidato, deverá deixar o PCdoB. Ele poderá concorrer à sucessão do prefeito Edivaldo Holanda pelo PRB, partido do vice-governador Carlos Brandão. O racha pode contribuir para o enfraquecimento do candidato do governo, que terá pela frente um osso duro de roer, o deputado federal Eduardo Braide (PODEMOS). 

Aliança

Comenta-se que o PODEMOS poderá apoiar o pré-candidato Sebastião Madeira (PSDB).  Em Imperatriz o partido é comandado pelo ex-candidato a deputado federal JP, hoje aliado do prefeito Assis Ramos (DEM). Ocorre que em São Luís o PODEMOS de Eduardo Braide é adversário do DEM, que terá candidato a prefeito (Neto Evangelista), e isso refletiria em Imperatriz, inviabilizando uma aliança com o DEM. É aguardar.    

E...

Também comenta-se que um partido com pré-candidato a prefeito, na hora certa iria anunciar apoio a outro nome. Com isso, o seu pré-candidato teria que procurar outra sigla ou abrir mão do Palácio Renato Moreira para ser candidato a vereador. A política é dinâmica. Nada é impossível...

Cuidado!

Um cartaz de um pré-candidato a prefeito está circulando nas redes sociais e, pelo que está escrito, poderá ser interpretado como campanha antecipada. Dá problema.

Ele disse

“Ao contrário das informações plantadas pelo megalomaníaco deputado que se acha dono do Estado, não há nenhuma negociação ou mudança de comando do partido do Estado”. A afirmação é do deputado federal Gastão Vieira, negando que o PROS passaria para o comando do também deputado Josimar de Maranhãozinho. E disse mais: “O comando nacional do PROS sequer teve qualquer conversa com o deputado Josimar, por uma razão simples: no nosso partido não há filiados e parlamentares que respondem a processos cíveis e criminais na Justiça”.