Pablo Moraes de Amaral vai responder por tentativa de homicídio
Uma das vítimas de Pablo, que teve o pescoço cortado

Policiais do 14º BPM prenderam, na manhã dessa quarta-feira (5), o homem identificado por Pablo Moraes de Amaral, 22 anos, morador da Rua Tamandaré, Mercadinho. Pablo Moraes é acusado de agredir e tentar matar mulheres de programa em série em Imperatriz.

Quatro das seis mulheres de programa contratadas por Pablo Moraes, através do site de relacionamento ‘Fatal Model’, que foram agredidas e ainda sofreram tentativa de homicídio, prestaram depoimento na tarde de ontem ao delegado José Rocha, que trabalhou no plantão central. Uma das mulheres teve a garganta cortada e outra foi alvejada com um tiro na boca. Essa mulher foi embora para Belém do Pará, com medo de Pablo, e outra para o estado de Goiás. Ele também é acusado de balear outra mulher depois de levá-la para a Estrada do Arroz.
Segundo o depoimento das mulheres, ele as contratava através do site de relacionamento, as levava para um motel da cidade e, depois do ato sexual, começava a sessão de agressões. Em dois casos, segundo as vítimas, ele deu-lhes o que é chamado de ‘boa noite, Cinderela’, que é bebida misturada a sonífero. Após elas dormirem, Pablo roubava o que tinha nas suas bolsas e ia embora, deixando-as no motel.
Na manhã dessa quarta-feira (6), entretanto, Pablo se deu mal. Após contratar uma mulher de programa em uma casa do ‘ramo’ no Jardim São Luís e ter relações sexuais com ela, ele tentou matá-la cortando-lhe o pescoço. O proprietário da casa o segurou com ajuda de populares, que acionaram policiais do 14º BPM, que fizeram a condução de Pablo para a Delegacia Regional de Polícia Civil em Imperatriz.
Para reforçar a denúncia, a moça foi submetida a exame de corpo de delito no Instituto Médico Legal, cujo laudo será juntado ao inquérito que será enviado à Justiça.
No fim da tarde de ontem, Pablo Moraes de Amaral, autuado por tentativa de homicídio qualificado, foi encaminhado para exame de corpo de delito no IML e, em seguida, levado para a Unidade Prisional de Ressocialização de Imperatriz-UPRI, onde se encontra à disposição da Justiça.