Fortalecido

É inegável que o governador Flávio Dino (PCdoB) é o grande vitorioso das eleições 2018, pois se reelegeu no 1º turno e ainda conseguiu eleger os seus dois senadores, que iniciaram as pesquisas eleitorais atrás dos candidatos Sarney Filho (PV) e Edison Lobão (MDB). Entretanto, o desempenho de um dos seus candidatos ao Senado não só foi surpreendente pela quantidade absurda de votos, como foi histórica. Com quase dois milhões de votos, mais precisamente 1.997.443 votos, o deputado federal Weverton Rocha (PDT) passa a ser o senador mais bem votado na história das eleições no Maranhão.

Sucessão

O desempenho foi tão impressionante que Weverton Rocha, que chegou a estar na quinta colocação nas pesquisas eleitorais, teve mais votos que o líder do seu grupo político, o comunista Flávio Dino. A quantidade absurda de votos de Weverton, desde agora, já lhe credencia para se posicionar com uma forte opção dos comunistas para 2022 na sucessão de Flávio Dino.

Renovação

A Câmara Federal e a Assembleia Legislativa tiveram uma "renovação" de mais de 50% nas eleições 2018, isso levando em consideração os eleitos em 2014. Na Câmara Federal, dos 18 eleitos, apenas oito foram eleitos em 2014. Os "veteranos" são: Rubens Júnior (PCdoB), Cleber Verde (PRB), Juscelino Filho (DEM), André Fufuca (PP), Hildo Rocha (MDB), João Marcelo (MDB), Aluísio Mendes (Podemos) e Zé Carlos (PT).

Novatos

Já os "novatos" serão a maioria, afinal são dez que não estavam na Câmara Federal. Os que irão estrear no parlamento federal são: Márcio Jerry (PCdoB), Pedro Lucas Fernandes (PTB), Bira do Pindaré (PSB), Josimar do Maranhãozinho (PR), Junior Lourenço (PR), Junior Marreca Filho (Patriota), Gil Cutrim (PDT), Edilazio Júnior (PSD), Eduardo Braide (PMN) e Pastor Gildenemyr (PMN).

Assembleia

Na Assembleia Legislativa a situação também não foi muito diferente, pois a maioria dos eleitos não estava entre os eleitos em 2014. Os "veteranos" são: Othelino Neto, Marco Aurélio, Neto Evangelista, Carlinhos Florêncio, Ana do Gás, Adriano Sarney, Edson Araújo, Vinícius Louro, Antônio Pereira, Rigo Teles, Glalbert Cutrim, Roberto Costa, Fábio Macedo, Ricardo Rios, Zé Inácio, César Pires, Wellington do Curso e Paulo Neto.

Novos

Os 24 que não foram eleitos em 2014 são: Detinha, Rafael Leitoa, Duarte Júnior, Márcio Honaiser, Cleide Coutinho, Andreia Rezende, Marcelo Tavares, Dra. Thaiza, Fernando Pessoa, Zé Gentil, Dr. Yglesio, Adelmo Soares, Hélio Soares, Daniella Tema, Ciro Neto, Rildo Amaral, Arnaldo Melo, Helena Duailibe, Pará Figueiredo, Pastor Cavalcante, Mical Damasceno, Leonardo Sá, Felipe dos Pneus e Wendell Lages.

Votados

Os dois candidatos a deputado apoiados pelo prefeito Assis tiveram uma boa votação em Imperatriz, se considerarmos que os dois praticamente não fizeram campanha em outros municípios, e no caso do dr. Daniel Fiim uma disputa pela primeira vez. Candidato a deputado federal, Daniel teve mais de 12 mil votos, enquanto Fátima pouco mais de sete mil votos.

Decepção

Já a grande decepção ao final da apuração foi a pífia votação do ex-prefeito por 8 anos, Sebastião Madeira, que esperava sair de Imperatriz com mais de 40 mil votos e teve que se contentar com pouco mais de 15 mil. Deve repensar seu futuro político.

Outro

Que também deve começar a pendurar as chuteiras é o também ex-prefeito Ildon Marques, que dirigiu a cidade por 10 anos e pela segunda vez disputou o mandato de deputado federal com o apoio do governo do estado e repetiu praticamente a votação passada, 23.294, enquanto o deputado Marco Aurélio, com quem fez dobradinha, somou pouco mais de 25 mil votos.

Guardados

Já Rosângela Curado, apesar de ter conseguido derrubar o seu indeferimento, disputou subjudice e terá que aguardar para saber quantos votos teve, não só em Imperatriz, mas em todo o estado. Seus votos estão guardados e somente com a decisão do Tribunal Eleitoral confirmando ou não o registro é que serão abertos.