Atirando 

Na sua estratégia de polemizar com o governo federal para ter visibilidade nacionalmente visando 2022, o governador Flávio Dino (PCdoB) mais uma vez deu uma cutucada no presidente da República, Jair Bolsonaro (PSL). Em entrevista à Folha de São Paulo de segunda-feira (07), ele declarou que há uma disposição de Bolsonaro e seus ministros em criar conflitos, "como se fosse um amor pela guerra". Para ele, "isso é ruim, pode criar uma espiral negativa que contamina o ambiente político", e destacou que o presidente atendeu ao pedido do Ceará de envio Força Nacional, mas fez criando conflito, ao criticar o governador Camilo Santana, do PT, dizendo que ele é radical. "Achei muito estranho, esquisito. Ele trata o envio da Força Nacional como se fosse um favor. Não é um favor, é um dever, uma obrigação. São os estados que mantêm a Força Nacional", afirmou o governador maranhense. Como se vê,  a cada dia ele aumenta o fosso entre o Palácio do Planalto e o Palácio dos Leões, o que não é nada bom para o Maranhão.  

E...

Sobre o futuro da esquerda, na entrevista Flávio Dino ressaltou que a união é um valor necessário. "E temos que ir ao ponto substantivo: ter uma posição firme em defesa dos direitos dos mais pobres. Defender os direitos dos trabalhadores, índios, mulheres, crianças, todos que estão no alvo de políticas do novo governo. A gente não cair num desejo aparente de certas figuras do governo de ficar batendo boca pura e simplesmente".

Favoritismo 

Ontem a vereadora Terezinha Soares (PSDB) ratificou o que a coluna divulgou. Durante reunião em que estavam pessoas ligadas ao governo estadual, portanto ao PCdoB, ela reafirmou que "hoje ninguém tira a reeleição do prefeito Assis Ramos". Teresinha ressaltou que possivelmente não apoiará Assis, mas reconhece a sua força político-eleitoral e o favoritismo nas eleições de 2020. 

Atraso

O vice-prefeito de Montes Altos, Valberto Cunha (PR), gravou um vídeo em que denuncia atraso de pagamento dos servidores na gestão do prefeito Ajuricaba Abreu (PDT). Ele revela que vem recebendo reclamações sobre não pagamento de salários e décimo-terceiro. Assegurou que no mês de dezembro entraram nos cofres da prefeitura de Montes Altos a elevada quantia de R$ 1.825,585, 21. Com um valor desse, não vê motivo para atraso no pagamento de servidores. Valberto está rompido com Ajuricaba e já teria tentado junto à Câmara a cassação do prefeito.         

Silêncio 

Até agora a direção estadual do PCdoB ainda não se manifestou sobre qual decisão tomará em relação ao prefeito Rubem Firmo, de Davinópolis. Filiado ao partido, ele está preso sob acusação de ser o mandante do assassinato do prefeito Ivanildo Paiva. O partido vai expulsá-lo ou não?  

Influência 

Depois dos elogios do presidente da República, Jair Bolsonaro, agora José Sarney recebe a visita, em São Luís, do deputado Rodrigo Maia (DEM-RJ), presidente da Câmara Federal. Ele está em campanha pela reeleição e busca apoio dos parlamentares. O encontro teve as presenças dos deputados Edilázio Júnior, Cléber Verde, Juscelino Filho e Aluísio Mendes. 

Ação

Ontem o PDT recorreu ao Supremo Tribunal Federal (STF) com uma Ação Direta de Inconstitucionalidade (Adin) contra a extinção do Ministério do Trabalho. O partido pede a suspensão do ato do presidente Jair Bolsonaro. Alega que a medida pulveriza as ações e atribuições da pasta e representa um enfraquecimento de direitos, regras e rede de proteção que a Constituição prevê para o Direito do Trabalho no Brasil.