MENU

01/09/2021 às 19h32min - Atualizada em 01/09/2021 às 19h32min

Polícia Federal cumpre mandado de busca e apreensão em Imperatriz em combate a atuação de crackers

Além de Imperatriz, foram cumpridos mandados em três cidades do Tocantins, três em Goiás, uma no Pará, Santa Catarina e Mato Grosso

Dema de Oliveira
Polícia Federal cumprindo mandado em Imperatriz - Foto: Assessoria/PF
 
A Polícia Federal deflagrou nesta quarta-feira (1º) a Operação Apaches, com o objetivo de combater a atuação de crackers, suspeitos do cometimento de diversas fraudes via internet contra instituições financeiras e estabelecimentos comerciais.

A investigação é um desdobramento das operações Cracker e Backdoor, deflagradas pela Polícia Federal no Tocantins nos anos de 2017 e 2018, no intuito de reprimir crimes cibernéticos no Estado.

Mais de 40 policiais federais deram cumprimento a 11 mandados busca e apreensão, todos expedidos pela 2º Vara Estadual de Augustinópolis/TO, nas cidades de Praia Norte/TO, Tocantinópolis/TO, Itaguatins/TO, Imperatriz/MA, Marabá/PA, Barra do Garças/MT, Goiânia/GO, Aparecida de Goiânia/GO, Porangatu/GO, Navegantes/SC.

Os criminosos se utilizavam de dados de cartões de crédito de terceiros, muitos capturados com a propagação de anúncios falsos em redes sociais, direcionando o usuário a páginas falsas, induzindo-os ao erro e capturando seus dados.

Os investigados poderão responder, na medida de suas responsabilidades, pelos crimes de associação criminosa e estelionato, cujas penas, se somadas, podem chegar a 8 anos de reclusão.

O nome da Operação – Apaches – faz referência a uma tribo de nativos americanas conhecidos pela sua grande resistência em combate e pela superioridade de suas estratégias de guerra.

Destaca-se que, em razão da pandemia causada pela COVID-19, foi adotada logística especial de prevenção ao contágio, com distribuição de EPI’s a todos os envolvidos, a fim de preservar a saúde dos policiais, testemunhas e investigados. 

Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Loading...