MENU

15/08/2021 às 00h00min - Atualizada em 15/08/2021 às 00h00min

Livros & Leitura

Da Redação
GB Edições

Dano Colateral

No domingo de 7 de abril de 2019, militares do Exército dispararam mais de oitenta tiros contra o carro onde estavam o músico Evaldo Rosa e sua família. Evaldo morreu no local. O catador de recicláveis, Luciano Macedo, que tentou socorrer a família, também foi atingido e morreu no hospital, dias depois. Pelo menos desde 2010, a ação do Exército nas chamadas Operações de Garantia da Lei e da Ordem (GLO) teve como consequência a morte de inocentes. Este livro pretende explicar com minúcia quais foram os danos colaterais que o uso crescente de militares em operações de segurança pública de civis trouxe para a nossa sociedade, além de explicitar as tensões cotidianas entre soldados e membros das comunidades em que foram estabelecidas forças de pacificação. Os danos colaterais podem ser poucos para efeitos estatísticos, mas têm desdobramentos enormes, e não só para familiares e amigos. Eles resultam numa gradual e constante perda da confiança na Justiça e representam uma ampliação do papel dos militares na política que parece ir na contramão do desenvolvimento de um Estado democrático. “Dano Colateral” conecta, com maestria, os acontecimentos ocorridos em complexos como o da Maré e do Alemão com ações políticas mais amplas no âmbito do governo federal e da justiça civil e militar. De Natalia Viana, o livro tem 344 páginas e é da Editora Objetiva.
 

Encaixotando Minha Biblioteca

No verão de 2015, Alberto Manguel se preparou para mais uma mudança: ele sairia de sua casa medieval no Loire, na França, e passaria a morar em um apartamento em Nova York. Sua biblioteca pessoal, com cerca de 35 mil volumes, teria que ser guardada. Nesse momento, o escritor começa a relembrar sua relação com os livros e as bibliotecas (públicas e privadas) que já passaram por sua vida, apresentando aos leitores uma elegia apaixonada. As reflexões de Manguel variam amplamente, desde as adoráveis idiossincrasias dos bibliófilos a análises mais profundas de eventos históricos, como o incêndio da antiga Biblioteca de Alexandria. Com perspicácia e carinho, o autor ressalta a importância dos livros e seu papel único para uma sociedade democrática e engajada. Com 184 páginas, o livro é da Editora Companhia das Letras.
 

Cartas Para Minha Avó

No mais pessoal e delicado de seus livros, a filósofa Djamila Ribeiro revisita sua infância e adolescência para discutir temas como ancestralidade negra e os desafios de criar filhos numa sociedade racista. O relato se dá na forma de cartas a sua saudosa avó Antônia – carinhosa e amorosa, conhecedora de ervas curativas e benzedeira muito requisitada. A cumplicidade que sempre houve entre avó e neta é o que permite que a autora rememore episódios difíceis, como a perda do pai e da mãe, as agressões que sofreu como mulher negra no Brasil e os desafios para integrar a vida acadêmica. Djamila também fala de relacionamentos amorosos e experiências profissionais, das músicas, das leituras e das amizades que a acompanharam em sua construção pessoal – e da percepção paulatina de que a memória das lutas e das conquistas das pessoas negras que vieram antes de nós é a força que nos permite seguir adiante. Com 200 páginas, o livro é da Editora Companhia das Letras.
 

Você Está Prestes a Cometer um Erro Terrível

Nem sempre tomamos decisões em nosso próprio benefício. Na vida pessoal, muitas vezes adotamos hábitos que fazem mal à saúde, compramos produtos de que não precisamos só porque estão em promoção e economizamos menos do que deveríamos. Nas empresas não é diferente: péssimas escolhas são feitas todos os dias – surpreendentemente, na maioria das vezes por pessoas muito capacitadas –, e suas consequências podem ser irreversíveis. Por que isso acontece com tanta frequência? Com base nas ciências cognitivas e na psicologia do julgamento e da tomada de decisão, Olivier Sibony identifica os chamados vieses cognitivos, armadilhas que nos levam a escolhas "irracionais". Segundo Sibony, "embora estejamos de forma individual à mercê dos nossos vieses, podemos observar e corrigir os dos outros. Inversamente, nossos familiares, amigos e colegas têm consciência de nossos vieses. Para tomar decisões melhores, devemos nos amparar neles, encontrar uma maneira de aproveitar a força do coletivo". Depois de inúmeras conversas com empresários, investidores e diretores, e de observá-los tomando decisões estratégicas, Sibony revela ferramentas fundamentais para o líder que almeja vantagens competitivas e uma equipe motivada. “Você Está Prestes a Cometer um Erro Terrível” apresenta a metodologia indispensável para você aprender, ou reaprender, a fazer boas escolhas. Com 264 páginas, o livro é da Editora Objetiva.

 
Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Loading...