MENU

11/08/2021 às 18h57min - Atualizada em 11/08/2021 às 18h57min

Em depoimento, advogado diz que não houve briga entre Bruno Calaça e o policial militar Adonias Sadda

Ricardo Barbalho cumpre prisão temporária de 30 dias na antiga CCPJ em Imperatriz

Dema de Oliveira
Ricardo Barbalho nega que tenha havido briga entre PM e médico - Foto: Divulgação/Redes Sociais
 
O advogado Ricardo Barbalho, preso nesta segunda-feira (9), por envolvimento na morte do médico Bruno Calaça, confirmou, em depoimento, que não houve nenhuma briga entre a vítima e o policial militar Adonias Sadda, que atirou em Bruno.

Segundo o depoimento prestado à Polícia Civil, Adonias e Ricardo teriam tido uma briga com um terceiro homem, também amigo deles, e decidiram conversar com as pessoas que ainda estavam na festa para explicar o que tinha acontecido.

Ricardo Barbalho disse à polícia que Bruno Calaça foi escolhido aleatoriamente, mas que quando chegaram próximo do médico, ele teria se assustado e empurrado um deles. O advogado também disse que quando percebeu a situação, Bruno já estava baleado. 

O depoimento do advogado Ricardo Barbalho será confrontado com outros depoimentos de testemunhas e do próprio PM Adonias Sadda.

O advogado ficou foragido por três semanas e foi preso segunda-feira depois de se apresentar à Polícia Civil. Contra ele já havia um mandado de prisão temporária  expedido pela justiça, que foi cumprido pelo delegado Praxisteles Martins. Ricardo Barbalho cumpre prisão temporária de 30 dias em uma cela especial da antiga CCPJ, em Imperatriz. 
 

Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Loading...