MENU

09/08/2021 às 12h20min - Atualizada em 09/08/2021 às 12h20min

Projeto de empreendedorismo transforma a vida de mulheres portuenses

A Feira da Mulher Empreendedora acontece todas as sextas-feiras e já conta com mais de 300 participantes

Nadya Mayara
Secom /PMPN
A Prefeitura Municipal apoia a Feira das Mulheres Empreendedoras - Fotos: Coletivo de Mulheres

   
Por meio da Secretaria Municipal da Produção, a prefeitura de Porto Nacional oferece às mulheres empreendedoras um espaço adequado para exposição e comercialização de suas mercadorias, a Feira da Mulher Empreendedora. No local são vendidos inúmeros produtos como artesanato, flores, plantas, produtos de beleza, alimentos caseiros e outros. Mais de 300 mulheres participam do projeto, que tem como objetivo promover o empoderamento feminino, fazendo com que as mulheres tenham independência financeira e gerem renda para suas famílias.

A ideia surgiu em 2020. Com a pandemia da Covid-19 e a dificuldade de comercializar seus produtos, algumas mulheres se reuniram e buscaram formas de comercializar seus produtos sem provocar aglomerações. Dessa forma nasceu a organização Coletivo Mulheres em Movimento, que atualmente é presidida por Adélia Martins, juntas elas realizam a Feira das Mulheres Empreendedoras que acontece todas às sextas-feiras, no centro de comercialização da antiga rodoviária da cidade, respeitando todos os protocolos recomendados pela Vigilância Sanitária e Organização Mundial de Saúde - OMS.

Depoimentos

objetivo do projeto é promover o empoderamento feminino, fazendo com que as mulheres tenham independência financeira e gerem renda para suas famílias.

O projeto, além de proporcionar geração de renda, favorece e fortalece a união entre as mulheres portuenses. Uma das expositoras da Feira de Mulheres Empreendedoras de Porto Nacional é a Márcia Barros, que trabalha com venda de roupas. Ela também possui um brechó on-line, onde ela expõe e comercializa as peças, roupas novas, seminovas e usadas. Otimista, Márcia está animada com o projeto: “desde o dia 18 de junho, data em que foi inaugurada a Feira das Mulheres, o bazar passou do on-line para o físico. Agora o cliente tem a possibilidade de ir até o brechó, conferir as peças de perto. Esse movimento de mulheres é muito importante, está sendo muito gratificante participar da feira. Minha expectativa é a melhor possível, esperamos que a cada dia aconteçam melhorias ainda mais significativas”, frisa.

Evanir Heinrich também expõe na Feira das Mulheres. Ela comercializa produtos alimentícios, como vinho artesanal, macarrão caseiro, ervas de tereré, chimarrão, mel, salame e amendoim com gergelim. Evanir se sente grata pela oportunidade de participar do projeto, “a Feira de Mulheres Empreendedoras têm contribuído para um novo recomeço devido à pandemia. Sou muito grata pela oportunidade e me sinto acolhida pelas mulheres da liderança”, pontua.

A expositora Nilza de Nazaré Lima de Oliveira vende queijo temperado, queijo tradicional, coalhada escorrida, doce de leite e pão caseiro na Feira. Ela fala do quanto as integrantes do Coletivo de Mulheres se apoiam mutuamente. “As mulheres empreendedoras têm contribuído com a troca de experiências, companheirismo, com garra, união, incentivando uma à outra, nos fortalecendo a cada dia. Uma pegando na mão da outra e não soltando. Tenho aprendido muito com cada uma das minhas companheiras”, afirma.

Iraci Pereira de Oliveira já se aposentou e agora expõe seus produtos na Feira da Mulher Empreendedora e se orgulha de empreender nessa fase da vida. “O trabalho na feira para mim é uma diversão, fez com que eu saísse de casa, conversasse mais com as pessoas, tivesse um objetivo na minha vida e para mim é um orgulho, muito gratificante. Meu sonho é que essa feira tome uma grande proporção, para que o Tocantins inteiro conheça o trabalho dessas grandes mulheres”, ressalta

O Projeto está sendo um divisor de águas na vida de muitas mulheres, contribuindo não só financeiramente na vida delas, mas também favorecendo o emocional de cada uma. A expositora da Feira das Mulheres Empreendedoras Maria Luiza Carvalho trabalha com artesanato e conta que a participação no projeto só trouxe alegrias. “Melhorou muito minha autoestima e, depois da feira, minhas vendas que estavam paradas alavancaram”, comemora. 

A opinião da Maria Luiza é compartilhada pela artesã e presidente da Associação dos Artesãos, Maria Aparecida de Oliveira. Ela conta que a Feira das Mulheres Empreendedoras tem contribuído muito com a divulgação dos trabalhos, com troca de experiências e impulsionado as vendas.

Além da prefeitura de Porto Nacional que, por meio da Secretaria de Produção, sede o espaço físico e cuida da manutenção da estrutura onde a feira é realizada, outros parceiros apoiam o projeto: SEBRAE, com suporte técnico de formação das mulheres e o SICREDI, que patrocinou panfletos de divulgação, aventais e toucas para que os cuidados com a higiene no local de trabalho sejam mantidos.
 


Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Loading...