MENU

05/08/2021 às 19h53min - Atualizada em 05/08/2021 às 19h53min

FIEMA discute Logística e rodovias em nova rodada do 2° Seminário do Projeto Arco Norte

Coordenadoria de Comunicação e Eventos do Sistema FIEMA
Ação ouviu representantes do DNIT para elaboração de estudo - Foto: Divulgação
 
SÃO LUÍS -
A Federação da Indústria do Estado do Maranhão (FIEMA), por meio do Grupo de Trabalho “Pensar o Maranhão”, promoveu na quarta-feira (04), na Casa da Indústria, a segunda etapa do 2º Seminário Técnico do Projeto Arco Norte.  

“Diante da grandiosidade do tema logística e infraestrutura  que envolvem grandes vetores futuros de desenvolvimento do Maranhão, resolvemos desmembrar essa edição em dois momentos e hoje falamos sobre rodovias e hidrovias e contamos com a presença do Superintendente Regional do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (DNIT) no Maranhão, Glauco Henrique Ferreira da Silva e do consultor Fernando Fialho ex-diretor-geral da Agência Nacional de Transportes Aquaviários (Antaq) e foi ex-presidente da Empresa Maranhense de Administração Portuária (Emap)”, destacou o superintendente da FIEMA, Cesar Miranda que representou juntamente com o vice-presidente executivo da FIEMA, Celso Gonçalo, o coordenador do GT Pensar o Maranhão e vice-presidente executivo da FIEMA, Luiz Fernando Renner.  

Nesta edição o seminário contou com participação do diretor regional do SENAI, Raimundo Arruda, do coordenador de Ações Estratégicas da FIEMA, José Henrique Polary além dos consultores da FIEMA, Allan Kardec Barros, professor da UFMA e ex-diretor da ANP e Ronaldo Carmona, professor da Escola Superior de Guerra que iniciaram os trabalhos apresentando para os convidados os resultados preliminares dos primeiros seis meses dos estudos sobre o Arco Norte. 

O consultor Fernando Fialho apresentou os desafios logísticos do Maranhão a curto e médio prazos. Segundo ele, a FIEMA está de parabéns por essa iniciativa. “ A FIEMA tem esse papel de promover estudos e propostas para o Maranhão, ainda mais agora nesse momento que se aproxima com a eleição e mudança de governo. A Federação vai ter condições de fazer um conjunto de proposta apartidárias para qualquer um dos candidatos que venham a ganhar a eleição. Essas são propostas de equacionamento, a frente ao desenvolvimento do Maranhão. Penso esse desenvolvimento como fator transformador da sociedade para que as desigualdades sejam reduzidas ao longo do tempo. Parabenizo a FIEMA pela iniciativa que serão defendidas pelo empresariado maranhense e por quem venha a assumir o Maranhão”, destacou Fialho, que em sua fala defendeu o uso dos rios como canais de escoamento da produção agrícola maranhense. 

O seminário foi encerrado pelo Superintendente Regional do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (DNIT) no Maranhão, Glauco Henrique Ferreira da Silva que detalhou a situação das sete rodovias federais que cortam o Maranhão. Ele foi destacou os contratos de manutenção em grande parte da malha rodoviária, mas que os recursos financeiros disponíveis são insuficientes para tal e enfatizou o apoio da bancada federal na busca de recursos.    

“A FIEMA sai na frente por pensar no futuro e resolver esses gargalos. O DNIT é muito preocupado em fornecer essa estrutura para a logística, o escoamento da produção e o deslocamento das pessoas. Nesse contexto, apesar das dificuldades orçamentárias temos procurado melhorar a nossa infraestrutura de transporte rodoviário, mas também por meio de hidrovias que já temos até estudos avançados nesse sentido. Nosso principal corredor é a BR135 e estamos concluído o trecho do Campo de Perizes e outro contrato de manutenção no trecho da BR dentro da ilha de São Luís!”, destacou Silva.  

Ao todo serão 4 encontros que vão discutir os grandes vetores futuros de desenvolvimento do Maranhão, estruturado em quatro áreas: Indústria, Agronegócio, Logística e Infraestrutura e Energia. Vale ressaltar que a reunião aconteceu em formato híbrido e seguiu todas as normas sanitárias.  

Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Loading...